• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pesquisa » Trabalhador migra na Região Metropolitana do Recife

Rosa Falcão

Publicação: 14/05/2014 15:18 Atualização: 14/05/2014 16:00

Todos os dias 494 mil trabalhadores da Região Metropolitana do Recife (RMR) saem de casa para trabalhar fora do domícilio de origem. Destes, 316 mil ocupados se deslocam para o Recife, sendo que Jaboatão é o principal emissor de mão de obra para a capital com 114 mil empregados.

É o que mostra o estudo da Agência Condepe/Fidem sobre a "Mobilidade para o Trabalho na Região Metropolitana do Recife - Deslocamento Pendular e Perfil Sócioeconômico dos Ocupados".

O estudo foi realizado a partir dos dados do Censo 2010 do IBGE e da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) do Dieese. Pernambuco ocupa o primeiro lugar no Nordeste e o segundo no país dos estados onde o trabalhador mais se desloca do domícilio de origem para trabalhar. O Rio de Janeiro é o primeiro da lista.

A maioria (61,9%) dos ocupados que migra para trabalhar em outra cidade é de homens e 38,1% são de mulheres. A cor predominante dos migrantes (60,7%) é de pardos e brancos (28,3%). Em relação à escolaridade, 45,7% dos trabalhadores que saem do domícilio para o emprego têm o ensino médio completo e 18,5% possuem o fundamental completo.

As faixas etárias que mais concentram os trabalhadores migrantes ficam entre 25 a 34 anos (30,6%) e 35 a 44 anos (25,7%). Outro recorte do estudo mostra que a mobilidade da mão de obra dos chefes de família é majoritária, com 50,2%. Os filhos ficam em segundo lugar, com 25,1%.

Em relação à posição na ocupação, 65,7% dos trabalhadores migram para trabalhar como assalariados, sendo 65,7% para o setor privado. A administração pública absorve 19,4% da mão de obra desse contingente de ocupados e o comércio 16,9%.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.