• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Finanças » Lucro dos grandes bancos acelera no 1º trimestre

Agência Estado

Publicação: 11/05/2014 13:43 Atualização: 11/05/2014 14:39

Mesmo com os impactos sazonais do primeiro trimestre e a oferta tímida de crédito, os grandes bancos de capital aberto no País conseguiram acelerar o lucro no primeiro trimestre com redução de calotes, melhora nas margens e retornos e mudança no mix das carteiras. Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander alcançaram juntos resultado de cerca de R$ 11 bilhões no período cifra 11,7% superior aos R$ 9,7 bilhões vistos um ano antes. No critério ajustado, foram cerca de R$ 12 bilhões, alta de 15%, na mesma base de comparação.

Como o primeiros trimestre geralmente é mais fraco que os demais impactado pelo aumento de gastos no fim do ano, a expectativa de executivos é de que nos próximos trimestres o crescimento da oferta de recursos acelere e possibilite o cumprimento dos guidances de desempenho para 2014. Analistas do mercado, porém, esperam revisão para baixo na próxima divulgação.

O Banco do Brasil, seguiu desacelerando os empréstimos. A carteira de crédito ampliada do BB totalizou R$ 699,3 bilhões em março, alta de 0,9% ante dezembro e de 18% em 12 meses. Embora tenha ficado dentro da meta para empréstimos totais, o banco não atingiu o guidance em pessoa física, margens e receitas com tarifas e serviços. Monteiro explicou que o BB espera recuperação ao longo de 2014 e disse que o banco vai sofisticar a divulgação de guidances na pessoa física no ano que vem com dados sobre a carteira orgânica.

"Há uma menor demanda na economia como um todo. O menor desempenho da carteira de crédito do BB está vinculada à economia que cresceu menos", explicou Ivan Monteiro, vice-presidente de Gestão Financeira e de Relações com Investidores da instituição, em entrevista com a imprensa. Ele destacou que os guidances do BB para 2014 estão mantidos.

Entre os privados, somente o Bradesco cresceu a oferta de recursos no primeiro trimestre deste ano ante o último, com expansão, inclusive, acima do BB. A carteira do banco subiu 1,2% frente ao trimestre anterior, para R$ 432,297 bilhões, enquanto ante 12 meses o aumento foi de 10,4%. Já o Itaú Unibanco registrou queda de 0,7% ante a cifra de dezembro, para R$ 480 120 bilhões, mas cresceu mais no comparativo anual, cuja alta chegou a 10,6%. O espanhol Santander teve queda de 1,6% e 7,2%, respectivamente, para R$ 275,24 bilhões.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.