• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sem informação » Argentina suspende divulgação de dados sobre pobreza e desperta críticas

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 25/04/2014 15:00 Atualização:

O governo argentino suspendeu nesta semana a divulgação de dados oficiais sobre a pobreza, alegando "severas carências metodológicas", um argumento rejeitado por analistas opositores, que denunciam que ao menos 30% da população é pobre, contra os 4,7% indicados nos últimos números oficiais divulgados.

A medição feita "tinha severas carências metodológicas" e problemas de ajuste com o Novo Índice de Preços, declarou o ministro da Economia do governo centro-esquerdista, Axel Kiciloff.

O Instituto Nacional de Estatística e Censos (INDEC) da Argentina planejava divulgar na quarta-feira os dados oficiais sobre o nível de pobreza no segundo semestre de 2013, mas as autoridades indicaram que ela havia sido suspensa sem anunciar as causas.

A polêmica não demorou a chegar e nesta sexta-feira o porta-voz do Governo da presidente Cristina Kirchner defendeu a gestão social, depois que analistas denunciaram que a suspensão de dados esconde 15,4 milhões de pobres que vivem na Argentina atualmente, o que se traduziria em 36,5% da população, segundo declarações de ex-técnicos do INDEC ao jornal La Nación, crítico do governo.

Segundo o ex-ministro da Economia Roberto Lavagna (2002-2005), que foi funcionário do ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), o governo não está fornecendo estes números "porque a pobreza aumentou neste tempo" e estimou em 25% a população pobre na Argentina.

O número de Lavagna coincide com o último índice da Universidade Católica Argentina (UCA), que também estimou em 25% os pobres no país sul-americano no primeiro semestre de 2013.

O chefe de Gabinete, Jorge Capitanich, insistiu nesta sexta-feira que "a pobreza e a indigência caíram drasticamente nos últimos anos" e minimizou a importância dos dados extraoficiais publicados em grande parte da imprensa.

Segundo os últimos índices oficiais, a pobreza na população urbana da Argentina foi de 4,7% durante o primeiro semestre de 2013, enquanto o índice de indigência se situou em 1,5%.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.