• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ranking » Real foi a segunda moeda que mais se valorizou frente ao dólar em abril

Agência O Globo

Publicação: 22/04/2014 17:45 Atualização:

Acompanhando o mercado externo, onde as moedas de países emergentes ligados a commodities vêm ganhando força frente ao dólar, o real teve neste ano, a quarta maior valorização em relação à moeda americana numa cesta de 33 moedas analisadas. A alta foi de 1,27%. Quando se observa a valorização do real frente ao dólar, apenas no mês de abril, o ganho é ainda maior. A moeda brasileira subiu 4,63%, o segundo maior ganho, perdendo apenas para a rúpia da Indonésia, que teve valorização de 6,41%. O levantamento foi feito pela CMA, empresa fornecedora de informações financeiras, e acompanha o desempenho até o último dia 16.

Vários fatores explicam a força da moeda brasileira frente ao dólar. Entre eles, está o elevado patamar de juro da economia brasileira - 11 % ao ano- para segurar a alta da inflação. Esse juro elevado atrai capitais externos que chegam ao país para as chamadas operações de 'carry trade', quando os investidores tomam dinheiro emprestado a uma taxa mais baixa no exterior e aplicam em títulos públicos brasileiros para se beneficiar da taxa elevada.

"Esse volume de capital especulativo evitou que a cotação da moeda americana atingisse os R$ 2,50, como previsto no inicio do ano. Mas é um capital que tende a deixar o país no curto prazo", afirma Sidnei Nehme, sócio da corretora de câmbio NGO.

Mas para o especialista, o que vem limitando a alta do dólar são mesmo as intervenções diárias do Banco Central no mercado de câmbio. Todos os dias, o BC oferece uma ração diária de 4 mil contratos de swap cambial, no total de US$ 200 milhões, que equivalem a uma oferta de moeda americana no mercado futuro. Esses contratos são usados para fazer operações de 'hedge', proteção frente às variações do dólar. O BC também está rolando neste mês contratos do mesmo tipo que vencem em maio e totalizam US$ 8,7 bilhões. Já foram rolados US$ 5 bilhões.

Para Neheme, há uma oferta excessiva desses contratos, já que o governo passou a utilizar o câmbio também para conter a pressão sobre a inflação. Mantendo o dólar mais próximo de R$ 2,20 do que de R$ 2,40, o BC evita que os produtos importados pesem ainda mais sobre os preços.

"O governo vem administrando o preço da moeda americana para conter da inflação, já que os juros estão muito elevados. Com isso, promove um excesso de oferta de swaps cambiais, com novos leilões e rolagens acima do que seria necessário", diz Nehme.

No último dia 10 de abril, a moeda americana atingiu o menor nível desde 30 de outubro de 2013, fechando a R$ 2,1840.

"Para o governo, o patamar de R$ 2,20 a R$ 2,25 está confortável. Ele alivia um pouco a pressão sobre os preços e não prejudica tanto exportadores, que ganham menos com o dólar mais fraco", diz Fernando Bergallo, gerente de câmbio da corretora de câmbio TOV.

Para ele, será difícil o dólar ganhar fôlego enquanto o atual patamar de juro estiver em 11% frente à taxa entre zero e 0,25% nos EUA.

"O mercado também não espera que o Federal Reserve (o banco central americano) mude o ritmo de redução dos estímulos à economia. A expectativa é que o Fed continue diminuindo em US$ 10 bilhões por mês a compra de ativos. Com isso, os juros por lá devem continuar baixos e só subir em 2015", diz Bergallo.

Também o fator eleitoral começou a pesar no mercado financeiro, incluindo o câmbio, lembra Bergallo. As pesquisas eleitorais que mostraram queda da intenção de voto na presidente Dilma Rousseff fizeram o dólar recuar e a Bolsa subir. "E assim será até a data da eleição", diz Bergallo.

Ranking de valorização frente ao dólar

No ano

1º) Won Sul Coreano - 2,46%

2º) Peso Colombiano - 2,14%

3º) Naira (divisa da Nigéria) - 1,70%

4º) Real - 1,27%

5º) Novo sol peruano - 1,03%

6º) Dólar da Nova Zelândia - 0,85%

7º) Iene (Japão) - 0,69%

8º) Ringgit (Malásia) - 0,67%

9º) Bath Tailandês - 0,59%

10º) Lira (Turquia) - 0,41%

Em Abril

1º) Rúpia indonésia - 6,41%

2°) Real - 4,63%

3°) Guarani paraguaio - 3,59%

4°) Iene - 2,73%

5°) Rúpia indiana - 2,39%

6°) Coroa norueguesa - 2,18%

7°) Bath Tailândes - 1,77%

8°) Ringgit (Malásia) - 1,58%

9°) Won sul coreano - 1,56%

10°) Quetzal (Guatemala) - 1,17%

Fonte: CMA

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.