• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Caged » Emprego: Pernambuco fechou 7.883 vagas em março De acordo com o levantamento, os vilões do desemprego foram a indústria de transformação, o comércio e a construção civil

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 17/04/2014 18:51 Atualização: 17/04/2014 19:27

A indústria de transformação foi responsável pelo fechamento de cinco mil vagas no terceiro mês do ano. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press  (A indústria de transformação foi responsável pelo fechamento de cinco mil vagas no terceiro mês do ano. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press )
A indústria de transformação foi responsável pelo fechamento de cinco mil vagas no terceiro mês do ano. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press
O estado de Pernambuco fechou o mês de março com 7.883 vagas a menos no mercado de trabalho. A quantidade de demissões foi 0,58% menor, se comparada às de fevereiro. No comparativo com março do ano passado, entretanto, o estado gerou 40.476 novos postos de trabalho, um crescimento de 3,08%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (17), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

De acordo com o levantamento, os vilões do desemprego em março foram a indústria de transformação, o comércio e a construção civil. Eles registraram, respectivamente, 5 mil, 1,2 mil e 1,1 mil desligamentos no terceiro mês do ano. O setor de agropecuária, administração pública e serviços industriais também fecharam março no negativo, com 896, 20, e 30 vagas a menos, respectivamente. O setor de serviços foi o principal o responsável pelas novas vagas geradas no período, com a abertura de 421 postos de trabalho.

De acordo com o Caged, em março o setor sucroalcooleiro fechou 5.578 postos de trabalho. No acumulado dos três primeiros meses, Pernambuco já acumula 11.956 vagas a menos no mercado. O resultado aponta a tendência de queda no ritmo de geração de empregos (em 2013, o estado teve o pior resultado dos últimos dez anos, com um saldo de apenas 32 mil novos postos de trabalho).

O estado de Pernambuco acompanhou a tendência nacional, que registrou a pior geração de emprego dos últimos 15 anos.

Cidades

O Caged analisou também o comportamento nos municípios pernambucanos com mais de 30 mil habitantes. O destaque vai para Olinda, na Região Metropolitana. Foram criadas 428 novas vagas na cidade (aumento de 0,51%). Petrolina, no sertão, gerou 391 novas vagas e Jaboatão dos Guararapes foi a terceira do ranking, com 255 novos empregos. Já o Recife ficou em último, com o fechamento de 1920 postos de trabalho.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.