• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Colaboração » Coletivo de economia criativa começa a funcionar em Casa Amarela

Thatiana Pimentel

Publicação: 09/04/2014 20:02 Atualização: 09/04/2014 23:16

Uniram-se em torno da marca pernambucana Calma Monga, que encabeça o projeto, a agência Pavio (comunicação), a Xodó Filmes (produção), a Muma (design) e a 30ideias (tecnologia), além da Combi, do Instituto Candela e do El Paso Café (Blenda Souto Maior/DP/D.A Press )
Uniram-se em torno da marca pernambucana Calma Monga, que encabeça o projeto, a agência Pavio (comunicação), a Xodó Filmes (produção), a Muma (design) e a 30ideias (tecnologia), além da Combi, do Instituto Candela e do El Paso Café
Baseado no coworking, que é um modelo de trabalho inspirado no compartilhamento de espaço e recursos, o Recife tem agora o coletivo Casamarela, que será inaugurado oficialmente neste sábado (12), na rua Professor Álvaro Lima, próximo ao Mercado de Casa Amarela. O local é, na verdade, uma versão deste conceito porque, além de escritórios de economia criativa, abriga uma loja colaborativa (Combi), uma escola de fotografia (Instituto Candela) e o El Paso Café. Ou seja, além de misturar empresas, o coletivo Casamarela é um mix de empreendimentos dos setores de serviços e comércio cujo ponto de intersecção é a indústria criativa local.

"Nossa ideia é unir forças para crescer", afirma Gabriela Fiuza
Assim, uniram-se em torno da marca pernambucana Calma Monga, que encabeça o projeto, a agência Pavio (comunicação), a Xodó Filmes (produção), a Muma (design) e a 30ideias (tecnologia), além da Combi, do Instituto Candela e do El Paso Café. Alguns já estão funcionando desde janeiro deste ano. "Nossa ideia é unir forças para crescer. Quando juntamos em um mesmo espaço várias empresas ligadas por esse conceito de economia criativa, estamos na verdade compartilhando nossos clientes e criando uma rede de ideias e soluções. É bom para os negócios e também para quem quer consumir algum produto ou serviço porque vindo aqui, esse cliente terá acesso a um mundo de possibilidades", explica Gabriela Fiúza, organizadora da Casamarela.

Para os sócios do El Paso Café, João Penna, Rafael Borges e Daniel Sultanum, a coletividade é a força motriz do espaço. "Estavamos procurando um local para abrir um bar e quando soubemos dessa ideia percebemos o potencial de abrir um café aqui. Grande parte de nossos clientes são alunos do Instituto Candela e vamos atrair ainda os visitantes da Combi e da Calma Monga", explica Borges. Outro que também apostou no conceito foi o arquiteto Matheus Ximenes que, juntamente com seu sócio, o engenheiro Murilo Bernardes, montou o escritório do e-commerce de design Muma dentro do coletivo. Além disso, o empresário também venderá peças do site na loja colaborativa Combi. "É uma forma diferente de reunir projetos criativos e pessoas criativas", resume.

O conceito da loja é inédito no Recife. Trata-se de uma forma de comércio multimarcas onde um espaço é disponibilizado para empreendedores da cadeia produtiva da moda que desejam comercializar seus produtos. "Quando o Calma Monga começou, era difícil fazer o produto chegar até os clientes e recebemos ajuda de amigos que tinham lojas para isso. Vendo essa nossa dificuldade e como a ajuda de outras lojas estabelecidas consolidou nosso negócio, decidimos fazer a mesma coisa com outras empresas. Assim, todo mundo ganha", detalha Gabriela.

A Muma, e-commerce de design, participa tanto do coletivo quanto da loja Combi. Na foto, Matheus Ximenes, um dos sócios da empresa (Blenda Souto Maior/DP/D.A Press )
A Muma, e-commerce de design, participa tanto do coletivo quanto da loja Combi. Na foto, Matheus Ximenes, um dos sócios da empresa
Para tal empreitada, a loja Combi disponibilizou 30 nichos para exposição de peças que podem ser acessórios, bolsas, bijuterias, roupas, objetos de decoração e sapatos. Cada nicho será alugado ao custo de R$ 150 ao mês. Já temos na loja a Calma Monga, Bárbara Formiga, Maria Ribeiro, Doida é a Mãe, Lub Dub, Long Falls, Carolina Escobar, Pinna, Simone Mendes, Firulinha, Casa 87, Paralela, Eslovenia Leggings, Maboo, Kameel e Muma. "Temos poucos espaços sobrando", garante a organizadora Gabriela Fiuza.

A inauguração será aberta ao público e contará com discotecagem do Dj Nego Nu e exposição fotográfica do Instituto Candela. Para quem quiser visitar, o coletivo Casamarela abrirá das 11h às 16h aos sábados e das 8h às 22h de segunda-feira a sexta-feira.

Mais informações no: https://www.facebook.com/casamarelaa

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.