• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PIB » Brasil pode perder posto de sétima maior economia do mundo

Agência O Globo

Publicação: 09/04/2014 18:55 Atualização:

Se as previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI) se confirmarem, o Brasil poderá perder o posto de 7ª maior economia do mundo para a Índia em 2018. As estimativas do FMI foram compiladas pelo economista-chefe da consultoria Austin Rating, que chegou a esta conclusão. De acordo com o FMI, em quatro anos, o Produto Interno Bruto (PIB) da Índia deverá atingir US$ 2,8 trilhões, enquanto o brasileiro será de US$ 2,7 trilhões.

"Três anos atrás a expectativa era de que o PIB do Brasil ultrapassasse o da Inglaterra em breve. Mas o país está mais uma vez perdendo uma janela de oportunidade para fazer investimentos e atrair investidores internacionais com uma política econômica equivocada", afirma o economista da Austin.

De acordo com os dados do FMI, a Índia é o país que mais deverá subir posições no ranking das dez maiores economias do mundo até 2019. O país deverá passar da 10ª posição em 2014 para a 7ª em 2018, superando além do Brasil, as economias da Itália e da Rússia. Entre as chamadas economias desenvolvidas, a única mudança apontada pelos dados do FMI é o Reino Unido superando a França em 2016 e passando a ocupar a 5ª posição entre os dez maiores PIBs do mundo.

Agostini lembra que, pelos números do FMI, em 2014, o Brasil só vai crescer mais do que a Argentina e a Venezuela na América do Sul. "São países com problemas políticos crônicos. Por aqui, não temos o patamar de desconfiança que Argentina e Venezuela apresentam aos investidores, mas ainda assim crescemos pouco. O reflexo negativo é que o investimento que poderia gerar mais emprego e elevar o nível de renda da população fica comprometido", afirma o economista.

As estimativas do FMI mostram que as dez maiores economias do mundo representam 65% do PIB mundial, o equivalente a US$ 76,8 trilhões. Embora o Brasil deva apresentar um crescimento muito pequeno nos próximos anos, os países emergentes vêm ganhando espaço nesse ranking. Atualmente, as economias desenvolvidas têm peso de 44,5% no PIB mundial, enquanto os emergentes representam 21,3%. Em 2019, a expectativa é que os desenvolvidos tenham peso de 42,7%, enquanto os emergentes deverão representar 22,9%.

Agostini observa que o Brasil tem perdido espaço entre os emergentes. "Para este ano, a previsão é que o PIB brasileiro cresça apenas 1,8% enquanto o da Rússia deverá crescer 1,3%. E a Rússia está enfrentando uma fuga de investidores e está envolvida num problema geopolítico com a Ucrânia. No Brasil, não temos nenhuma dessas condições e mesmo assim a diferença dos PIBs é muito pequena", afirma o economista.

Pelas previsões do FMI, em 2014, o PIB brasileiro será de US$ 2,2 trilhões (o sétimo maior do planeta) e o da Rússia deve chegar a US$ 2 trilhões (nona maior economia). Já em 2018, o PIB russo deverá chegar a US$ 2,4 trilhões, ocupando o décimo lugar no ranking, enquanto o Brasil ficará com a oitava posição (US$ 2,7 trilhões).

As dez maiores economias do mundo:
(PIB em trilhões de US$)

2014

EUA 17,5

China 10

Japão 4,8

Alemanha 3,8

França 2,88

Reino Unido 2,82

Brasil 2,2

Itália 2,1

Rússia 2,0

Índia 1,9

Previsão para 2018

EUA 21,1

China 13,9

Japão 5,5

Alemanha 4,6

Reino Unido 3,5

França 3,4

Índia 2,8

Brasil 2,7

Itália 2,5

Rússia 2,3

Fonte: FMI, compilação Austin Rating

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.