• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Nova interdição » Vigilância Sanitária e Procon-PE interditam por cinco dias supermercado Deskontão, na Ceasa

Augusto Freitas

Publicação: 09/04/2014 14:26 Atualização: 09/04/2014 15:12

Prateleiras de frios do Deskontão apresentavam muita ferrugem, o que prejudica o consumo do produto (Augusto Freitas/DP/D.A Press)
Prateleiras de frios do Deskontão apresentavam muita ferrugem, o que prejudica o consumo do produto
Depois das interdições em supermercados das zonas Norte e Sul do Recife, no mês passado, a operação de fiscalização do Procon-PE e Vigilância Sanitária mirou a Zona Oeste da cidade e fechou mais um estabelecimento às vésperas da Páscoa. Na manhã desta quarta-feira (9), a unidade da rede Deskontão, localizada na Ceasa, bairro do Curado, foi interditada por cinco dias após o flagrante de várias irregularidades no hipermercado.

Os fiscais chegaram ao Deskontão por volta das 9h e logo após as primeiras vistorias no interior da loja constataram muitas falhas: alimentos estragados e impróprios para o consumo (peixes e queijos, principalmente), ilhas (prateleiras) de frios enferrujadas, temperaturas de refrigeração e congelamento de insumos em desacordo com o padrão da legislação sanitária, presença de insetos (baratas) e higiene precária em alguns setores do estabelecimento. Cerca de meia tonelada de alimentos foram confiscados na operação, segundo a gerência da Vigilância Sanitária do Recife.

Adeilsa Ferraz, gerente de fiscalização da Vigilância Sanitária do Recife, informou que o Deskontão da Ceasa, que vende produtos em pequena e grande quantidade, já havia sido notificado recentemente sobre falhas internas. “Constatamos que os peixes vendidos não tinham qualquer informação de produção, armazenamento e prazo de validade para o consumo. A Vigilância já tinha recebido inúmeras reclamações sobre esta unidade e agora eles terão de se adequar à legislação", explicou.

Outra grave irregularidade constatada durante a operação foi que o Deskontão não possui certificação e autorização da Agência de Defesa Agropecuária de Pernambuco (Adagro-PE) para fracionar alimentos, como queijos, charques e presuntos. Na sala onde os produtos estariam sendo fracionados foram encontradas baratas no chão. Os queijos também apresentavam uma quantidade de soro além do normal, o que comprova, segundo os fiscais da Vigilância, que a temperatura de armazenamento estava abaixo do recomendado. O gerente geral da unidade foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos.
 
“Vários produtos estavam sem condições de consumo e uma grande quantidade de peixes, inclusive, já estava em estado de putrefação. Laticínios e carnes também apresentavam sinais visíveis de que estavam impróprios para o consumo. Chama atenção a quantidade de alimentos apreendidos por que já estamos perto da Páscoa, período em que os consumidores compram esses produtos em grande volume”, disse o delegado Roberto Wanderley, da Delegacia do Consumidor.

Henrique Gonçalves, fiscal do Procon-PE, disse que o estabelecimento poderá ser multado após a avaliação do Departamento Jurídico do órgão e resultados das análises nos produtos apreendidos. “As irregularidades encontradas são graves e o consumidor precisa ser protegido, já que se trata de um crime contra a saúde pública”, reforçou. Nas interdições recentes ocorridas em outros supermercados, as multas previstas podem variar de R$ 40 mil a R$ 2 milhões.

A reportagem do Diario entrou em contato com a rede Deskontão para saber a resposta da empresa sobre a interdição da unidade da Ceasa. Através de uma nota divulgada pela assessoria de comunicação, a direção da rede informou que "sobre a ação conjunta de órgãos de defesa do consumidor na unidade do Deskontão Ceasa, nesta quarta, 9 de abril, a direção da empresa informa que a equipe de Segurança Alimentar da unidade vai fazer uma auditoria em tempo integral na loja para atender e se adequar às exigências feitas na visita dos órgãos à unidade. Esclarecemos também que a unidade do Deskontão Ceasa apresenta a Licença Sanitária emitida pela Vigilância Sanitária da Prefeitura do Recife em plena vigência".

Makro

Antes da interdição do Deskontão, fiscais da Vigilância Sanitária, do Procon-PE e agentes da Delegacia do Consumidor visitaram o hipermercado Makro, na Avenida Recife, bairro de Areias, também na Zona Oeste. No local, foram retirados e incinerados 120 kg de alimentos impróprios para o consumo. O estabelecimento não foi interditado, mas recebeu uma advertência por conta de falhas nas ilhas de congelamento e um prazo para se adequar às normas sanitárias. A inspeção encontrou produtos alimentícios, como hamburgues e pizzas, descongelados. O gerente do supermercado foi encaminhado para a Delegacia do Consumidor para prestar esclarecimentos.

Com mais um fechamento de supermercado no Recife hoje, sobe para cinco o número de estabelecimentos interditados totalmente pelo Procon-PE e Vigilância Sanitária do Recife, com o apoio da Delegacia do Consumidor, Ipem, MPPE e Adagro-PE, em um intervalo de 30 dias. Todos os estabelecimentos foram interditados por razões semelhantes, como a prática ilegal de comercializar mercadorias impróprias para o consumo e vencidas.  

No mês passado, as interdições ocorreramm no Extra, da Avenida João de Barros (cinco dias), Pão de Açúcar da Avenida Rosa e Silva (interdição no setor de refeições, liberada no mesmo dia após as correções), Extrabom e Bompreço (cinco dias), em Casa Amarela, e Carrefour (cinco dias), na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem. As denúncias dos consumidores à Vigilância Sanitária podem ser feitas através dos telefones 0800 281 1520 ou (81) 3355-5416.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.