• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Previsão » Dilma diz que inflação se manterá na meta em 2014

Agência O Globo

Publicação: 03/04/2014 16:30 Atualização:

Um dia depois de o Comitê de Politica Monetária (Copom) ter elevado a taxa básica de juros pela nona vez consecutiva, a presidente Dilma Rousseff disse, nesta quinta-feira, que a inflação vem sendo mantida sob controle nos últimos 12 anos. Segundo a presidente, neste ano, a inflação ficará dentro da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Dilma afirmou ainda que a política fiscal do governo será mantida.

"A inflação vem sendo mantida nos últimos 11, agora 12 anos, dentro dos limites fixados pelo CMN e assim ocorrerá também em 2014. A divida líquida do setor público em relação ao PIB, que mede a capacidade do país de pagar suas dívidas internas e de ser viável, tem decrescido sistematicamente. Em 2002 chegava a 62%, hoje chegamos a 33,7% e nossa política fiscal está mantida, olhando justamente essa tendência de queda de divida sobre o PIB", afirmou. "Ao mesmo tempo somos um país que acumulou reservas. Temos um conjunto de reservas que nos preserva em relação a extrema volatilidade. Somos um dos países que tem maior número de reservas, chegamos a 377 bilhões de dólares."

A presidente participou do Fórum Nacional da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil.

"Fortalecemos a questão do investimento produtivo e da produtividade. Para a gente continuar fazendo distribuição de renda e inclusão, o padrão tem que ser cada vez mais da mais alta qualidade, temos que olhar a questão da produtividade", disse.

No discurso, Dilma defendeu medidas de desburocratização para micro e pequenas empresas. O governo, segundo a presidente, está totalmente comprometido com o processo de desburocratização. Ela afirmou que a a burocracia "mata a inventividade, a criatividade, a liberdade de iniciativa e dificulta o empreendedorismo". Dilma disse que o governo trabalha o prazo para abertura e fechamento de empresas para cinco dias.

"Precisamos dirigir nossas prioridades para um dos setores mais dinâmicos e includentes da nossa economia e que cresce contra tudo e contra todos, que é o micro e pequeno negócio. Tem que ser privilegiado porque é uma verdadeira estratégia de desenvolvimento produtivo do nosso país. Só assim o Brasil vai ter um tecido econômico e social forte, dinâmico e democrático. Forte porque será o grande respaldo da economia do nosso país, um tecido econômico que está em cada um dos municípios, que preserva as características de cada região, dinâmico porque tem capacidade de crescer e democrático porque tem a cara do país de classe média que queremos ser."

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Oscar Silva
Alguém de bom senso ainda presta atenção no que essa cavalgadura fala? As eleições vem aí, sargentona mentirosa, corrupta e incompetente! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.