• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pesquisa » IBGE: crescimento da indústria em fevereiro foi generalizado

Agência Brasil

Publicação: 02/04/2014 14:22 Atualização:

O 0,4% do crescimento industrial do país em fevereiro deste ano, na série com ajuste sazonal, reflete um comportamento de alta da atividade na passagem de janeiro para fevereiro, com expansão em três das quatro categorias de uso e 19 dos 27 ramos pesquisados.

Segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física Brasil (PIM/PF Brasil), divulgado nesta quarta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre as atividades, a principal influência positiva foi registrada por veículos automotores, que cresceu 7% nesse mês.

Esse é o segundo resultado positivo consecutivo do setor, que chega a acumular no período expansão de 16,8%. Vale citar que esses dois resultados positivos interromperam o comportamento negativo presente desde outubro de 2013, período em que acumulou perda de 23,5%.

Outras contribuições positivas importantes sobre o total da indústria vieram de equipamentos de instrumentação médico-hospitalar, óticos e outros (17,6%), bebidas (5,1%), alimentos (1,4%), borracha e plástico (4,2%), metalurgia básica (2,8%) e fumo (25,2%).

Já entre os sete ramos que reduziram a produção industrial de janeiro para fevereiro, os desempenhos de maior importância para a média global foram registrados por farmacêutica (-9,7%) e outros produtos químicos (-3,1%) - com o primeiro eliminando parte do avanço de 30,8% assinalado no mês anterior, e o último apontando o segundo resultado negativo consecutivo e acumulando nesse período perda de 5,9%.

Ainda segundo os dados da PIM, entre as categorias de uso, na comparação com o mês imediatamente anterior, o crescimento de 3,3% nos bens de consumo duráveis foi a expansão mais acentuada em fevereiro de 2014, após já ter registrado crescimento de 4,8% no mês anterior.

O setor produtor de bens intermediários (0,8%) também avançou acima da média nacional (0,4%) e apontou a segunda taxa positiva seguida, acumulando nesse período ganho de 2,4%. O segmento de bens de capital mostrou ligeira variação positiva nesse mês (0,1%), após crescer 13,3% em janeiro último, enquanto a produção de bens de consumo semi e não duráveis, com variação de -0,1%, apontou o único resultado negativo nesse mês.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.