• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Financiamentos » Bancos apostam em empreendedores Redes privadas estão diversificando linhas de crédito e atendimento para quem quer investir no próprio negócio

Thatiana Pimentel

Publicação: 29/03/2014 07:00 Atualização: 28/03/2014 21:27

Brasil já conta com 6,3 milhões de micro e pequenos empreendedores. Linhas de financiamento facilitam novos negócios Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brasil já conta com 6,3 milhões de micro e pequenos empreendedores. Linhas de financiamento facilitam novos negócios Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O mercado financeiro tem uma nova “menina dos olhos”. Depois de focar na classe C, os bancos privados investem agora nos micro e pequenos empreendedores, que já são 6,3 milhões em todo o Brasil, segundo dados do Sebrae. Redes como o Bradesco, o Santander e o Itaú estão diversificando suas linhas de crédito e atendimento para o setor, com opções de financiamento do próprio bolso – sem verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, sites exclusivos e contas com benefícios.

O crédito facilitado pode ser encontrado em linhas de capital de giro, descontos de ordem de pagamento, antecipação de cheques e contas integradas com benefícios. Em algumas ofertas, como a Giro Bonificado, do Santander, o empresário consegue empréstimos com taxas líquidas a partir de 1,07% ao mês. Já na opção Desconto de Cheques, do Brasdesco, é possível antecipar o recebimento de valores pré-datados e obter dinheiro no ato, com prazo de pagamento de até 210 dias.

“Nosso interesse é trabalhar junto com os empreendedores sobre as melhores soluções para cada momento da empresa. Além de investir em linhas de crédito, o banco preparou gestores e temos nossa própria máquina, que, ao ser usada pelo empresário, possibilita que ele faça uma antecipação automática do valor que será recebido. Queremos incentivar o crescimento e a modernização das micro e pequenas empresas e acompanhar o seu sucesso”, afirma Cristiane Nogueira, superintendente executiva de segmentos do Santander.

Segundo ela,  à medida em que estes empreendedores intensificam seu relacionamento com o banco, vão tendo outros benefícios. “A adimplência, o volume movimentado e até a pontualidade no pagamento aumentam as possibilidades e vantagens. Nossa ideia não é promover o crédito de forma indiscriminada, mas ajudar o micro empresário a crescer de forma sustentável”, completa Nogueira. O Santander lançou, inclusive, o Portal Empreendedor, que é exclusivo para pequenas e médias empresas. “No site, incorporamos lições de finanças e ainda ajudamos no plano de negócios desse empreendedor”, explica a superintendente do banco.

Já no Itaú, o foco é facilitar a vida do empresário reunindo os serviços na internet. O banco permite o pagamento pelo celular, onde a empresa pode autorizar pagamentos de onde estiver. No site, o empreendedor também pode pagar salários, tributos e fornecedores, tendo todos os comprovantes online e armazenamento automático pelo prazo legal, eliminando a necessidade de arquivo dos comprovantes físicos. O banco tem ainda um gerenciador de vendas com cartão, onde o empreendedor pode antecipar os recebíveis e transformar seus créditos em dinheiro automaticamente.

O Bradesco investiu em mais opções de crédito com as linhas de capital de giro, destinada à aquisição de matéria-prima, máquinas e equipamentos. A taxa de juros é de 2,8% ao mês e o prazo de pagamento de 60 meses. Outra solução ao microempresário que o banco oferece é o desconto de ordem de pagamento que antecipa pagamentos registrados para o futuro com taxas exclusivas que começam por 2,21% ao mês e com prazo de 210 dias. E a instituição lançou ainda a Conta Garantida, que tem limite de crédito rotativo disponível com aprovação prévia. Os juros são de 3,55% ao mês e o prazo é de 90 dias, podendo ser maior depois de uma análise específica.

Valdir Cavalcanti orienta que o financiamento bancário deve ser adquirido quando o empresário quer fazer um investimento Foto: Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press
Valdir Cavalcanti orienta que o financiamento bancário deve ser adquirido quando o empresário quer fazer um investimento Foto: Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press
Apesar do crescimento do crédito, Valdir Cavalcanti, analista de orientação empresarial do Sebrae Pernambuco, afirma que financiamentos bancários podem ser um risco para as empresas. “Muito empreendedor pega este dinheiro para pagar dívidas ou tributos e acaba se afundando ainda mais. Não indicamos crédito para quem está com problemas. Ao contrário, o financiamento bancário deve ser adquirido quando o empresário quer fazer um investimento. Comprar um máquina, por exemplo. O dinheiro deve ser investido que algo que traga um retorno para o negócio”, aconselha.

Como alternativa, Valdir recomenda a empreendedores que estejam com dificuldades trabalhar as vendas com promoções, ofertas e descontos. “Esta é uma fórmula para diminuir o estoque e conseguir alavancar as vendas da empresa. Além disso, conquista clientes.” Ele ressalta ainda que, antes de ir a um banco, os empreendedores com dúvidas devem procurar ajuda no Sebrae. “Se você tem um problema que te fez perder dinheiro, antes de se endividar ainda mais, precisa identificar e solucionar esse problema para não piorar sua situação.”

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.