• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Operação em supermercados » Carrefour da Avenida Domingos Ferreira é interditado por três dias

Augusto Freitas

Publicação: 26/03/2014 12:40 Atualização: 26/03/2014 15:12

Fiscais da Vigilância Sanitária do Recife interditaram Carrefour de Boa Viagem após várias irregularidades (Secretaria de Saúde/PCR/Divulgação)
Fiscais da Vigilância Sanitária do Recife interditaram Carrefour de Boa Viagem após várias irregularidades
Uma semana após interditar um dos supermercados mais movimentados da Zona Norte do Recife, a operação de fiscalização da Vigilância Sanitária do Recife mirou a Zona Sul. Na manhã desta quarta-feira (26), os fiscais do órgão, acompanhados do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Delegacia do Consumidor, Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Pernambuco (Ipem) e Procon-Recife, interditaram por três dias outro estabelecimento, o Carrefour, localizado na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem.

A operação começou logo no início da manhã com a análise de vários produtos no setor de frios e laticínios e equipamentos de refrigeração dentro do estabelecimento. Segundo a Vigilância Sanitária, os fiscais flagraram carnes (boi, frango e salsichas), peixes, bacalhau, crustáceos (camarões e lulas) e laticínios aparentemente estragados e impróprios para o consumo. Parte da salsicha apreendida, inclusive, apresentava coloração que não estava de acordo com o padrão de consumo permitido pela legislação sanitária.  

De acordo com a chefe de controle de Alimentos da Vigilância Sanitária do Recife, Geise Belo, cerca de 200 quilos de mercadorias foram confiscadas pelos órgãos para a análise posterior em laboratório. Por volta das 10h, quando ainda havia vários clientes pagando compras nos caixas do supermercado, os órgãos decidiram pela interdição do Carrefour e lavraram o termo de interdição. As multas, conforme informaram, podem, variar entre R$ 400 mil e R$ 2 milhões, caso as irregularidades sejam comprovadas.

“A temperatura de conservação dos produtos estava supostamente na ambiente, o que demonstrou de forma clara a falta de cuidados com os alimentos perecíveis. Constatamos ainda produtos com o prazo de validade vencido sendo vendidos, outros sem validade determinada e revalidados. Além disso, também flagramos carne pré-moída, o que é proibido pela lei, já que ela deve ser moída na frente do consumidor”, explicou Geise Belo.

De acordo com o Procon-PE, o Carrefour terá três dias para corrigir as falhas e comprovar que está apto para continuar a venda de alimentos, assim como a eficácia dos equipamentos de refrigeração. “Voltaremos e, se tudo estiver de acordo com o que a lei determina, o estabelecimento voltará a funcionar normalmente. Caso contrário, permanecerá interditado até que os problemas sejam corrigidos e os direitos e a saúde dos consumidores sejam respeitados. A operação de fiscalização vai continuar”, ressaltou José Rangel, coordenador geral do Proncon-PE.

Procurada pela roportagem do Diario, a rede Carrefour se proncunciou sobre a interdição de hoje através da assessoria de comunicação. Confira na íntegra a nota oficial divulgada à imprensa.

"O Carrefour informa que atendeu prontamente às recomendações da fiscalização para sua unidade Domingos Ferreira, em Recife (PE), realizada na manhã desta quarta-feira (26). No período estabelecido, a empresa tomará todas as providências necessárias para garantir o cumprimento estrito de procedimentos de segurança alimentar que fazem parte do padrão de qualidade da companhia. O Carrefour informa ainda que qualquer irregularidade decorrente de uma quebra de procedimento será rigorosamente apurada e corrigida. Os colaboradores da unidade serão reorientados quantos às normas adotadas pela rede, que atendem estritamente ao Código de Defesa do Consumidor e demais legislações pertinentes. No período, os consumidores podem realizar suas compras na unidade Carrefour, localizada na Rua Francisco Correa de Moraes, 100, no bairro Imbiribeira."


Continuação

A operação de fiscalização nos supermercados começou na semana passada e envolve o Procon, MPPE, Ipem, Delegacia do Consumidor e a Vigilância Sanitária do Recife. O objetivo é apurar denúncias de irregularidades feitas por consumidores e preservar a saúde e os direitos nas relações de consumo. Na semana passada, a fiscalização já havia interditado por cinco dias, por razões semelhantes, o Extra da Avenida João de Barros e o Pão de Açúcar (setor de refeições), da Avenida Rosa e Silva. Os dois estabelecimentos, inclusive, são controlados pelo mesmo grupo empresarial. O Extra reabriu na última segunda-feira (24) e o Pão de Açúcar reativou o balcão de vendas de alimentos prontos ainda no mesmo dia.

O Procon-PE alerta que os consumidores devem observar a data de validade dos produtos e denunciar eventuais irregularidades ao próprio órgão, como também à Vigilância Sanitária, MPPE e Delegacia do Consumidor. O órgão tem convênio com a Associação Pernambucana de Supermercados (Apes) que estabelece o direito do consumidor que encontrar mercadoria com validade vencida antes de passar no caixa a levar o mesmo produto ou similar gratuitamente.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Edmar Brasil
Duas denuncias foram feitas na Vigilância Sanitaria de PCR contra o Bompreço Jaqueira, Protocolo nº 964676 e 964677 e na DPPC registramos o BO nº 13E0328002325, nenhum dos dois órgão passou nem perto do local do crime ! PORQUE SENHORES da PCR e da DPPC ? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.