• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Micro » Rodadas de negócio reúnem pequenas empresas da cadeia de petróleo

Agência Sebrae de Notícias - ASN

Publicação: 24/03/2014 17:04 Atualização:

Empresários do setor de petróleo, gás e energia que participam de 17 Redes Petro existentes em 14 estados no país e representam mais de 1.500 empresas brasileiras fornecedoras de bens e serviços para a cadeia de valor de petróleo estarão reunidos em Niterói (RJ), de 8 a 10 de abril, no PetroBrasil 2014. O objetivo é ampliar a carteira de clientes das micro e pequenas empresas com rodadas de negócios, promover troca de experiências, dar acesso a novas tecnologias que têm surgido especificamente para essa área de negócios e aumentar a competitividade dessas empresas. O Sebrae é um dos patrocinadores do evento, que está inserido na meta de ampliar a participação dos micro e pequenos estabelecimentos no setor.

Nos dois primeiros dias do evento haverá palestras e rodadas de negócios, em que as empresas apresentam seus produtos a potenciais compradores. Para participar das rodadas – que serão tanto presenciais como virtuais –, é preciso fazer uma inscrição específica, até o dia 20 de março. A expectativa do Sebrae é que, a partir dessa rodada, as micro e pequenas empresas fechem  negócios na casa de R$ 100 milhões no próximo ano.

A organização das empresas que fornecem para a cadeia de petróleo em sistema de rede é parte do projeto do Sebrae em parceria com a gigante do setor petrolífero, a Petrobras. A estratégia vem sendo aprovada pelos empresários. Eduardo Marinho, dono da CPF Parafusos, diz que a Rede Petro é responsável por cerca de 30% do seu faturamento. “Antes, nosso único cliente era a Petrobras. Mas, ao entrar no projeto de encadeamento produtivo do Sebrae e da Petrobras, conhecemos a Rede Petro e lá fizemos contato com outros empresários do setor. Eles se interessaram pelo nosso produto, que é muito específico e não tem saída no varejo. Toda nossa produção hoje é feita por encomenda e o volume de negócio tem aumentado”, comemora.

No projeto, o Sebrae atua detectando junto a Petrobras novas oportunidades de negócios para os micro e pequenos fornecedores e também quais os requisitos que essas empresas precisam ter para começar a vender para a estatal. De posse dessas informações, o Sebrae faz um diagnóstico dos pequenos negócios que participam da rede e orienta seus gestores até que a empresa consiga se cadastrar na lista de fornecedores da Petrobras.

“Estar bem preparado para atender às exigências do mercado é fundamental no mundo dos negócios. E só é possível fazer isso bem quando se tem uma visão completa da empresa, do que está acontecendo em cada setor, estabelecendo metas para cada área e buscando sempre a excelência. É isso que queremos passar aos empresários nas parcerias do encadeamento produtivo”, explica o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

A CPF Parafusos é um exemplo disso. De simples revenda de parafusos especializados para equipamentos de extração de petróleo virou uma pequena fábrica. “Basicamente, tínhamos apenas a Petrobras como cliente e nenhum know-how de como era o dia a dia e a montagem de uma indústria”, diz Eduardo Marinho. Ele e o irmão contaram com a ajuda do Sebrae tanto para  auxiliar a estruturar o chão de fábrica, dizendo onde cada equipamento deveria ficar para ter melhor produtividade e quantos funcionários seriam necessários para produzir o necessário, a como fazer para ter mais clientes.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.