• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Projeção » Mercado aumenta previsão para PIB de 2014 após avanço acima do esperado no 4º trimestre

Agência O Globo

Publicação: 05/03/2014 14:00 Atualização: 05/03/2014 14:02

Analistas de mercado financeiro elevaram a previsão do Produto Interno Bruto (PIB, soma de bens e serviços produzidos no país) para 2014, segundo o relatório Focus divulgado hoje pelo Banco Central. Segundo os dados, a economia do país neste ano crescerá 1,70%, taxa 0,3 ponto percentual acima do registrado na semana anterior. A melhora nas projeções acontece após o anúncio do crescimento de 0,7%, acima do esperado pelo mercado, no quarto trimestre de 2013, que resultou num PIB de 2,3% no acumulado do ano passado.

Ainda segundo a pesquisa Focus, o mercado espera uma alta menor este ano para a Selic, referência para os juros praticados no mercado: a projeção é que a taxa encerre o ano em 11,13%, ante os 11,25% projetados na última sondagem divulgada pelo BC, na semana passada. Já para o IPCA, a expectativa é de que a taxa oficial de inflação ficará em 6,12% este ano, um alta de 0,1 ponto percentual frente ao boletim anterior.

A Selic subiu 0,25 ponto percentual na quarta-feira da semana passada, para 10,75% ao ano. Foi a oitava alta consecutiva da Selic, que começou a ser elevada em abril do ano passado. Portanto, o mercado espera pelo menos mais uma elevação da taxa.

Com a divulgação do desempenho do PIB na quinta-feira da semana passada, muitos economistas passaram a acreditar que o Banco Central deve encerrar logo o atual ciclo de alta de juro. Para os especialistas, o atual nível da Selic está condizente com um cenário de inflação que fica nos próximos meses abaixo de 6% e uma atividade econômica um pouco melhor.

Até a última pesquisa, divulgada no dia 24 de fevereiro, os economistas vinham reduzindo suas previsões para o PIB por três semanas seguidas, sendo a última de 1,79% para 1,67%.

O crescimento em 2013, conforme divulgou o IBGE no dia 27 de fevereiro, foi puxado por investimentos e serviços. O avanço de 0,7% nos três últimos meses do ano ficou acima das melhores expectativas do mercado, que giravam entre queda de 0,2% e alta de 0,5%. Com isso, a ameaça de uma recessão — dois trimestres seguidos de queda, já que no terceiro trimestre a economia recuou 0,5% — não se confirmou.

O investimento surpreendeu e cresceu 6,3% no ano passado, depois da queda de 4% em 2012. Já o consumo das famílias andou mais devagar. Mesmo crescendo há dez anos seguidos, avançou 2,3% contra 3,2% do ano anterior. A taxa foi a menor também em dez anos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.