• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Turbulência » Crise argentina afasta turistas brasileiros O desembarque de brasileiros caiu 24,7% desde 2011

Diego Amorim - Correio Braziliense

Publicação: 04/03/2014 11:20 Atualização: 04/03/2014 11:42

Pedinte cochila em banco perto da Casa Rosada, sede do governo do país. Foto: Diego Amorim/CB/D.A Press
Pedinte cochila em banco perto da Casa Rosada, sede do governo do país. Foto: Diego Amorim/CB/D.A Press
A interminável crise argentina afastou o charme, o glamour e os turistas de Buenos Aires. O número de brasileiros que visitam a capital despencou no ano passado, fazendo com que os Estados Unidos retomassem o título de destino internacional preferido. Ainda assim, somos nós os grandes responsáveis por dar fôlego à capenga economia dos hermanos, com a injeção de cerca de R$ 1 bilhão por ano, levando em conta uma estadia média de cinco dias.

Dados obtidos com exclusividade pelo Correio ilustram o impacto da turbulência econômica no turismo da Argentina. Nos últimos três anos, o desembarque de brasileiros em Buenos Aires caiu 24,7% e os gastos diários reduziram 19,7%. No entanto, seguimos no topo do ranking dos que mais visitam a terra de Carlos Gardel, Mercedes Sosa e do papa Francisco e dos que mais despejam dinheiro nas noites de tango, na calle Florida e nas lojinhas coloridas do Caminito.

À beira de um novo colapso, a Argentina depende cada vez mais dos visitantes estrangeiros. Se não fossem os brasileiros, o país já poderia estar em recessão. Assim como em 2009 e em 2010, o consumo desenfreado dos turistas em Miami contribuiu para ajudar os Estados Unidos a se recuperarem do tombo provocado pela quebra do banco Lehman Brothers, agora é a vez do país vizinho agradecer a gastança dos brasileiros quando viajam ao exterior.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.