Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Novo concurso » Administração é parte mais densa da prova para o Ministério da Fazenda, diz professor

CorreioWeb

Publicação: 30/01/2014 11:02 Atualização:

O Ministério da Fazenda (MF) lançou, ontem (29), edital de novo concurso público. São nada menos que 1.026 oportunidades distribuídas entre 25 estados. O cargo em questão é o de assistente técnico administrativo, com remuneração de R$ 3.050,82. Para concorrer é preciso nível médio de escolaridade. Do total de chances, 66 são reservadas a pessoas com deficiência.

Leia mais sobre concursos no portal Admite-se

O concurso é composto apenas por provas objetivas com aplicação no dia 27 de abril. Serão cobrados conhecimentos básicos em língua portuguesa, matemática e raciocínio lógico, informática, atualidades, gestão de pessoas e do atendimento público, ética do servidor na administração pública, administração pública brasileira e regime jurídico dos agentes públicos. Ao todo, serão 70 questões. Interessados podem se inscrever entre os dias 3 e 16 de fevereiro pelo site www.esaf.fazenda.gov.br. A taxa custa R$ 62.

De acordo com o professor do IMP Concursos de administração pública brasileira Renato Lacerda é imprescindível que o candidato domine a disciplina. Ele adianta que entre os tópicos mais importantes e, geralmente, cobrados pela banca organizadora estão modelos de gestão pública, Decreto-Lei nº 200/1967 – considerado marco legal do gerencialismo no Brasil – e finanças públicas. O professor alerta que a prova de administração da Esaf é, provavelmente, a de mais alto nível dentro dos concurso públicos. “É uma banca bastante criteriosa e gosta de mesclar aspectos históricos dos governos com a gestão pública”, observa.

Apesar da expressiva quantidade de vagas, Lacerda destaca que o certame deve atrair muitos candidatos. “Até com a eminência das eleições, o que envolve restrições de nomeações, os concurseiros ficam apreensivos para conseguir oportunidades como essa o quanto antes”, opina. O professor garante que há tempo suficiente para se preparar. “A parte de administração pública é a mais densa do edital, mas ainda assim é possível estudar com qualidade”, garante. Ele destaca que a disciplina envolve vários conceitos do direito administrativo e constitucional, o que deve ajudar candidatos que já possuem algum estudo prévio na área.

A maioria das chances é para lotação no Rio Grande do Sul, com 155 oportunidades; seguido por Minas Gerais (101 vagas); e Paraná, com 97 vagas. Os demais estados são: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »