Pernambuco.com



  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Material escolar » Procon investiga prática de venda casada em escolas do Recife

Sávio Gabriel - Especial para o Diario

Publicação: 24/01/2014 07:46 Atualização: 24/01/2014 18:11

Patrícia Calife teve de comprar o acesso ao conteúdo multimídia dos livros do filho por R$ 95. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press
Patrícia Calife teve de comprar o acesso ao conteúdo multimídia dos livros do filho por R$ 95. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press

A duas semanas do fim das férias escolares, muitos pais estão enfrentando dificuldades na hora da compra do material escolar. Além de não ter acesso aos títulos dos livros na lista, as pessoas são informadas de que precisam realizar a compra exclusivamente pela internet. Caso queiram adquirir as publicações, os consumidores são obrigados a pagar, além do valor dos livros, uma taxa extra pela utilização do conteúdo digital oferecido pela editora (vídeos, animações, áudio, entre outros), que pode chegar a R$ 120. As queixas incluem, ainda, a obrigatoriedade de adquirir todos os livros listados na empresa, sem a possibilidade da compra por unidade. O Procon Pernambuco já está investigando as denúncias.

Os problemas, segundo os pais, são causados por conta de uma parceria feita entre a Editora Moderna e cerca de 15 escolas da Região Metropolitana do Recife, que adotaram a coleção Moderna Compartilha. A jornalista Patrícia Calife, por exemplo, poderia ter desembolsado R$ 275 com os três livros que comprou para o filho, estudante do colégio Madre de Deus. "No fim da compra acabei pagando R$ 95 a mais por conta de um 'código de acesso', que não sei qual é a finalidade." A dentista Roselini Nepomuceno, que também matriculou a filha na mesma instituição, não concretizou a compra. "Exigi que o colégio me repassasse a lista com o nome de todos os livros", conta ela, que encontrou os mesmos títulos numa livraria.

"Todos os colégios envolvidos e a editora estão agindo de má-fé para lucrar indevidamente", alerta o coordenador do Procon-PE, José Rangel. Ele diz que a venda dos livros não pode estar associada à aquisição do conteúdo digital. "É um caso de venda casada. Além disso, as escolas não podem omitir o título das publicações, já que o consumidor tem direito a essas informações", acrescenta.

O colégio Madre de Deus informou que são disponibilizadas duas listas para os pais: uma que possui os títulos dos livros da Editora Moderna e outra que não. O documento completo pode ser solicitado na secretaria do colégio. A Editora Moderna confirmou que os livros precisam ser comprados junto com a chave de acesso porque ela permite "o uso dos conteúdos digitais, que são incrementados e atualizados ao longo do ano letivo". Procurado pelo Diario, o Sindicato das Escolas Particulares do Estado (Sinep-PE) não se posicionou até o fechamento desta edição.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: gilvan chaves
No Colégio Imaculada conceição no bairro do barro a venda também é casada junto a livraria Moderna e temos que pagar uma taxa de 120,00 para acessar o programa. O pior dessa história é que o lob põe no bolso Procon, direito do consumidor e tudo que estiver pela frente. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »