• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Europa » Desemprego na Espanha sobe no último trimestre de 2013

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 23/01/2014 16:11 Atualização:

O desempregosubiu na Espanha nos últimos três meses de 2013 e se situou em 26,03% da população economicamente ativa, mantendo-se como o principal problema de uma economia que voltou ao caminho de um crescimento modesto.

A Espanha, quarta economia da eurozona, não conseguiu manter a tendência em baixa do desemprego registrada no segundo e terceiro trimestres de 2013, ao mesmo tempo em que registrou um leve crescimento de seu PIB nos últimos três meses do ano, de 0,3% em relação ao trimestre anterior.

No fim de dezembro, a Espanha contava com 5.896.300 desempregados, ou seja, 8.400 a menos que no 3º trimestre, mas a população economicamente ativa também baixou, a 22.654.500 pessoas, o que explica o aumento percentual do desemprego, informou nesta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Segundo a Pesquisa da População Ativa (EPA) do INE, que contabiliza as pessoas que buscam ativamente um emprego, o número de desempregados caiu em 69.000 pessoas em um ano, o que significa que, “pela primeira vez desde o segundo trimestre de 2007, é registrada uma queda anual do desemprego”.

No entanto, em termos percentuais o desemprego voltou a subir, já que no trimestre anterior se situou em 25,98% da população economicamente ativa, uma das mais altas dos países industrializados.

Por setores, no último trimestre o desemprego aumentou nos serviços, enquanto caiu na agricultura, na construção e na Indústria.

Os jovens seguem entre os mais afetados, com uma taxa de desemprego de 55,06% na faixa etária de 16 a 24 anos, em alta em relação aos três meses anteriores.
Também foi registrado um aumento de 24.600 lares em que todos os seus membros ativos estão desempregados, o que eleva este número a 1.832.300 milhão.

A crise social continua sendo profunda, num momento em que o país, duplamente atingido em 2008 pela explosão da bolha imobiliária e pelo início da crise financeira internacional, registra um crescimento de seu PIB de 0,3% no 4º trimestre de 2013.

O PIB espanhol já havia crescido 0,1% no trimestre anterior, segundo estimativas do Banco da Espanha divulgadas nesta quinta-feira. No entanto, caiu 1,2% no conjunto do ano, números insuficientes para estimular a criação de empregos, segundo os analistas.

O governo esperava no fim de 2013 uma taxa de desemprego de 26,6% e de 25,9% no fim de 2014, e, segundo o FMI, a Espanha precisará de outros cinco anos para voltar a ter uma taxa de desemprego inferior a 25%.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.