• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Paralisação » Maiores produtores mundiais de platina fazem greve na África do Sul

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 23/01/2014 16:09 Atualização:

Os três maiores produtores mundiais de platina se encontravam afetados nesta quinta-feira (23) por uma greve de mineiros sul-africanos, que reclamam aumentos salariais, dois anos depois de uma sangrenta paralisação que atingiu o setor.

O sindicato radical Amcu, majoritário nas minas de platina - que fornecem 70% da produção mundial - pede um salário de 12.500 rands (US$ 1.100) mensais, quase o triplo do nível atual, algo que os diretores classificam de “irrealista”.

Os três grupos afetados são a Anglo American Platinum (Amplats), o Impala Platinum (Implats) e a Lonmin, respectivamente números um, dois e três do setor no mundo. A greve atinge mais de 80.000 pessoas, e vai durar, segundo o sindicato, o tempo necessário para que os patrões deem uma resposta.

Este movimento acontece quase dois anos depois das violentas greves de mineiros, marcadas por confrontos com a polícia e também entre os próprios grevistas e sindicatos. Na ocasião, na mina de Marikana, explorada pelo grupo britânico Lonmin, a polícia disparou contra grevistas armados, matando 34 deles em agosto de 2012.

A indústria mineradora e as atividades derivadas representam cerca de 20% do PIB sul-africano.
Esse setor assegura 40% das exportações do país e é uma fonte crucial de rendas para a África do Sul. O setor emprega cerca 500.000 pessoas no país.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.