Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Câmbio » Incerteteza sobre mercado chinês faz bolsa cair quase 1%

Agência O Globo

Publicação: 20/01/2014 17:32 Atualização: 20/01/2014 20:36

Sem a referência das Bolsas americanas, fechadas por causa do feriado de Martin Luther King, o mercado financeiro analisou nesta segunda-feira dados da economia chinesa, que cresceu 7,7% no ano passado. O número ficou um pouco acima da meta do governo, que era de uma expansão de 7,5%, mas foi o menor crescimento em 14 anos. Para o mercado, foi um sinal de que a segunda maior economia do mundo vem desacelerando nos últimos anos e terá que que se reinventar para crescer a taxas de 10%, como no passado.

No exterior, sem os mercados dos EUA, o dólar comercial recuou frente a outras divisas, inclusive de países emergentes, como o rand sul-africano e o dólar australiano, o que se refletiu por aqui. A divisa recuou desde a abertura e fechou em queda de 0,34% cotada a R$ 2,336 na compra e R$ 2,338 na venda. É a menor cotação desde o dia 17 de dezembro, quando a divisa fechou a R$ 2,322. Na máxima do dia, a moeda americana foi cotada a R$ 2,344 (queda de 0,08%) e na mínima chegou a R$ 2,329 (desvalorização de 0,72%).

"O mercado de câmbio ficou esvaziado, sem a referência do mercado americano. No exterior, a moeda também recuou e o real acompanhou", avalia Marcos Trabbold, da B&T Corretora.

Neste contexto, o Banco Central ofereceu hoje ao mercado mais 4 mil novos contratos de swap cambial tradicional, operação que equivale a uma venda de dólares no mercado futuro. Foram vendidos US$ 198 milhões. O BC também dá sequência à rolagem de contratos que vencem em 3 de fevereiro. Serão ofertados US$ 1,2 bilhão.

"Com cerca de US$ 650 milhões negociados, um volume muito baixo, os leilões do BC tiveram peso na formaçaõ do preço do dólar", diz um operador de câmbio.

Além do PIB, a produção industrial e as vendas do varejo na China também cresceram, mas num ritmo menos acelerado. A produção industrial da China cresceu 9,7% em dezembro na comparação com igual período do ano anterior, depois de avançar 10% em novembro. Já as vendas no varejo da China tiveram um crescimento nominal de 13,6% em dezembro na comparação com igual período do ano anterior, depois de subirem 13,7% em novembro.

O Ibovespa, índice de referência do mercado brasileiro, se fixou no campo positivo à tarde, depois do exercício de opções sobre ações pela manhã. No fim da sessão, o índice se desvalorizou de 0,96% aos 48.708 pontos. É a menor pontuação desde o dia 8 de agosto de 2013, quando o índice encerrou aos 47.452 pontos. O volume financeiro foi muito baixo, sem a presença de investidores dos EUA por causa do feriado de Martin Luther King, nos EUA, e do Rio de Janeiro, dia de São Sebastião. Foram negociados R$ 4,5 bilhões, sendo R$ 2,57 bilhões referentes ao exercício de opções. O Ibovespa também perdeu o patamar dos 49 mil pontos.

"Os números da China vieram um pouco acima do esperado, mas nada excepcional. Foi o menor crescimento em 14 anos, por isso as ações da Vale recuaram com força. Além disso, os investidores ficaram sem a referência do mercado americano, que ficou fechado", avalia João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos.

Ele lembrou que o preço do minério de ferro está recuando no mercado internacional. No fim do ano passado, a tonelada estava sendo negociada a US$ 136 e, em janeiro, passou a US$ 131, o que impacta os papéis da Vale

As ações preferenciais da mineradora se desvalorizaram 2,83% cotadas a R$ 29,20, puxando o Ibovespa para o campo negativo . Os papéis preferenciais da Petrobras também recuaram 2,12% a R$ 15,18 também influenciados por China. Já entre as ações de bancos, Itaú Unibanco PN perdeu 0,80% a R$ 29,79 e Bradesco PN caiu 0,58% a R$ 27,01.

A maior alta é apresentada pela ações ordinárias da Gafisa, com ganho de 2,01% a R$ 3,55. As ações ordinárias da Energias BR apresentam a maior perda, com desvalorização de 3,57% a R$ 9,99.

A Gafisa anunciou sua prévia operacional do quarto trimestre de 2013, apresentando números acima das estimativas, com robusto crescimento das vendas. As vendas contratadas líquidas totalizaram R$ 1,313 bilhão

"Acreditamos que os números são mais positivos do que os demais pares do setor que já divulgaram boas prévias (Cyrela e PDG) e o próximo foco dos investidores deve ficar na geração de caixa do resultado trimestral, a ser divulgado no dia 27 de fevereiro", diz relatório divulgado pela UM Investimentos.

Sem uma agenda econômica importante, os juros futuros estão em alta nesta segunda. No Boletim Focus divulgado nesta manhã, os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) estimam que a Selic (taxa básica de juros) encerrará 2014 em 10,75% ao ano, alta de 0,25 ponto percentual em relação ao 10,50% da semana passada. Os contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2015 subiam de 10,91% para 10,98%, enquanto a taxa dos papéis para janeiro de 2017 avançava de 12,28% para 12,33%.

Na Europa, as principais Bolsas também fecharam próximas à estabilidade, refletindo os dados da China, e o fechamento dos mercados americanos. na alemanha, o índice Dax, principal da bolsa de Frankfurt, fechou em queda de 0,28% após o prejuízo divulgado pelo Deustche Bank no quarto trimestre.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »