Pernambuco.com



  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Resposta » Petrobras rebate relatório da Macroaxis que aponta chance de falência

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 13/12/2013 11:06 Atualização: 13/12/2013 13:04

Saída da P-58 do Estaleiro Honório Bicalho, em Rio Grande. Foto: João Paulo Ceglinski/Ag. Petrobras
Saída da P-58 do Estaleiro Honório Bicalho, em Rio Grande. Foto: João Paulo Ceglinski/Ag. Petrobras
Um dia depois de ter sido alvo de uma análise que apontou um risco de falência, a Petrobras rebateu a consultoria Macroaxis. Em meio a uma das piores crises da sua história, a Petrobras se apressou a responder um relatório que apontou ser de 32,4% a chance da petroleira brasileira decretar falência nos próximos dois anos.

Segundo a Macroaxis, esta seria a chance mais alta entre as petroleiras no mundo, com a líder ExxonMobil tendo probabilidade de apenas 0,86% e a Petrochina, de 12,27%. A avaliação da Macroaxis, empresa pouca conhecida no país, diz que o resultado foi baseado nas últimas informações financeiras da estatal brasileira, relativas ao terceiro trimestre.

De julho a setembro, a Petrobras viu aumentar seu endividamento em relação à geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, amortizações e impostos), que ultrapassou o limite de 2,5 vezes imposto pela própria companhia. Essa relação pulou para 3,05 vezes no terceiro trimestre e analistas estimam que no quarto trimestre possa atingir 3,5 vezes.

De acordo com o portal Folha/UOL, a Petrobras afirmou ontem (12) no seu blog “Fatos e Dados” que “possui excelentes indicadores operacionais, crescentes reservas de petróleo e gás e projetos de investimento em implantação que sustentam o elevado e contínuo crescimento da produção de petróleo até 2020”.

A estatal explicou que esses fundamentos “combinados com o perfil de dívida da companhia, são fatores que conferem à Petrobras a classificação de ‘grau de investimento’ pelas três principais agências de risco: Moody's, Standard & Poor's e Fitch.”

Recentemente, a S&P informou que não estava reavaliando a nota da companhia, depois que a Moody's reduziu a nota da dívida da empresa em um degrau, mas manteve o grau de investimento. O grau de investimento dado por agências de classificação diferencia as empresas com risco de investimento.

Segundo a Petrobras, a previsão é de que em 2020 estará produzindo 4,2 milhões de barris de petróleo por dia, contra 1,9 milhão atualmente, e para 2014 estima que haverá aumento de produção, após a entrada de nove plataformas em operação este ano.

A perspectiva da área financeira é de que no próximo ano a necessidade de captação de recursos no mercado (dívida) será menor do que o realizado em 2013 (US$ 20 bilhões), devido ao aumento da receita proveniente de uma produção maior.

No mercado financeiro, a divulgação do relatório da Macroaxis não aumentou o mau humor dos investidores em relação à Petrobras, que já conta com resultados estáveis ou menores de produção e de lucro em 2013 e 2014, mas que apostam na recuperação da companhia a partir de 2015. As ações mais negociadas subiram 0,48% no pregão da Bovespa, cotadas a R$ 16,86, enquanto as ordinárias, com direito de voto, subiram 0,32%, cotadas a R$ 15,71. O Ibovespa subiu 0,11%.

A estatal alega que a queda de geração de caixa é explicada pela redução de produção da empresa, aliada à valorização do dólar e à necessidade de importações a preços maiores do que os praticados no mercado interno.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: aldir da paz
eita! obrigado Dilma. como uma empresa dita como uma das melhores do mundo de uma hora pra outra fica com essa fama? pt do inferno | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »