Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Índice reformulado » Com nova plataforma, IBGE ampliará mapeamento de desemprego no Brasil

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 10/12/2013 16:07 Atualização: 10/12/2013 17:26

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai ampliar o mapeamento do desemprego no Brasil com o novo índice de medição da taxa. Nesta terça-feira (10), o órgão anunciou que, a partir do ano que vem, a taxa de desemprego do país será calculada de uma maneira diferente e divulgada a cada três meses.

Com isso, em vez de entrevistar pessoas apenas nas seis regiões metropolitanas de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre, as mais populosas do país, o IBGE vai ampliar o campo das entrevistas para 3,5 mil cidades, o equivalente a cerca de 60% dos municípios brasileiros.

De acordo com o portal Folha/UOL, que publicou na edição de online de hoje uma matéria sobre o assunto, nem mesmo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), a maior pesquisa feita hoje anualmente pelo instituto, alcança esse universo. A Pnad analisa 1.100 municípios, visitando 147 mil casas.

De acordo com o IBGE, com a nova plataforma, para calcular a taxa de desemprego e coletar outras informações sobre o mercado de trabalho, os pesquisadores vão coletar e processar quatro vezes por ano informações de 211 mil residências. O órgão informou que vem testando o novo índice há dois anos e que o modelo será lançado em 17 de janeiro, com os dados de 2012 e do primeiro semestre de 2013.

Com a reformulação do índice, a atual pesquisa sobre o mercado de trabalho, a Pesquisa Mensal do Emprego (PME), continuará a ser calculada e divulgada até o fim de 2014, quando será extinta. Além da taxa, o IBGE divulgará um retrato básico dos trabalhadores entrevistados, como se são funcionários públicos ou do setor privado, se são formais (têm carteira de trabalho assinada), se trabalham por conta própria ou como domésticos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »