Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Pernambuco.com

Recife, 23/JAN/2018
 
cheia

  • Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Teatro Janeiro de Grandes Espetáculos terá mais de 90 espetáculos em 14 espaços Programação realizada na Região Metropolitana do Recife segue até o dia 28

Por: Isabelle Barros

Publicado em: 10/01/2018 19:21 Atualizado em:

Dorinha, Meu Amor, de João Falcão, marca a abertura do festival. Foto: Flora Negri/Divulgação
Dorinha, Meu Amor, de João Falcão, marca a abertura do festival. Foto: Flora Negri/Divulgação

Em meio às prévias de carnaval que tomam conta do calendário de eventos do Recife no primeiro mês do ano, um deles foge à regra. O Janeiro de Grandes Espetáculos - agora rebatizado de Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco - completa 24 anos de atividade se assumindo em transição. A abertura será nesta quarta-feira (10) com a apresentação, no Teatro de Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio), do espetáculo Dorinha, meu amor, dirigido por João Falcão e protagonizado pela atriz e cantora Isadora Melo. Até o dia 28 de janeiro, 91 apresentações, entre as presentes na grade oficial e na mostra paralela, vão movimentar casas de espetáculo e sedes de grupos da capital pernambucana. No total, 14 espaços, entre teatros, espaços e centros culturais, serão mobilizados.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Até o ano passado, o festival era organizado pelo trio de produtores Carla Valença, Paula de Renor e Paulo de Castro. Com a saída de ambas, este último virou o nome de maior responsabilidade pela iniciativa. A posição o levou a investir mais em música, um desejo seu de longa data, junto com teatro, dança e as atividades paralelas que passaram a caracterizar cada vez mais a mostra nos últimos anos. "Estar sem as duas é um desafio, mas estou no ramo há 53 anos. Quem montava a grade era Paula, então fiquei um pouco solto nesse sentido. Tive de viajar mais, ver mais espetáculos e assumir a curadoria”.

O orçamento do festival neste ano não passou dos R$ 600 mil, divididos entre patrocínio da Prefeitura do Recife e da Fundação Joaquim Nabuco, além de incentivo do Funcultura. Com esse dinheiro, foi possível trazer 15 montagens nacionais e três internacionais, sendo duas de teatro, E a vida afinal é como as orquídeas e Dialogus Ibericus, e uma de dança, Kalashnikova - AK47. Entre os espetáculos locais, estão sete estreias em teatro e dança: Pro(FÉ)Ta, do Coletivo Grão Comum, O diário das frutas, coreografada pelo bailarino Dielson Pessoa, A ceia dos cardeais, de Paulo de Castro Produções, Espera o outono, Alice, do AMARÉ Grupo de Teatro, Aluga-se, do Grupo Acaso, Ebulição, de Valéria Vicente e Meia-noite, de Orun Santana. 

Já em música, os destaques são as duas primeiras apresentações nacionais da parceria entre Egberto Gismonti e João do Pife, em Caruaru e no Recife, respectivamente nos dias 26 e 27. Os duos e homenagens preenchem outras noites da mostra, especialmente na primeira semana, com shows de Tibério Azul com Igor de Carvalho amanhã, Ayrton Montarroyos com Claudette Soares na sexta-feira (12), além de Frank & Ella, com Arthur Philipe e Cláudia Beija, e A dita curva, encontro entre Aninha Martins, Aishá Lourenço, Flaira Ferro, Isadora Melo, Luna Vitrolira, Isaar, Isabela Moraes, Sofia Freire, Laís de Assis e Paula Bujes.

A edição deste ano nem começou e Paulo de Castro já pensa no próximo festival, que vai completar 25 anos em 2019. "Fizemos algumas mudanças que devem ser vistas de forma mais completa na edição do ano que vem, com uma guinada mais radical. Uma das nossas ideias é trazer todos os espetáculos locais e nacionais que fizeram sucesso no evento desde o seu início”, pontua Paulo. O espetáculo de abertura, inclusive, já está definido: uma adaptação de Ricardo III, de William Shakespeare, com Junior Sampaio, Suzana Costa e Moncho Rodriguez.
 
Em paralelo
O trabalho de três companhias teatrais locais será posto em evidência no evento. O Espaço O Poste, o Espaço Cênicas e o Espaço Fiandeiros sediarão leituras dramatizadas e apresentações teatrais tanto de outros grupos como estudantis. Paulista, na Região Metropolitana, também está incluída na grade do evento, em uma parceria com o projeto Mergulho Cultural. São 12 espetáculos em cartaz no Teatro Paulo Freire entre sexta-feira e 28 de janeiro, com ingressos a R$ 2 e R$ 1 (meia). Além disso, está previsto o lançamento de quatro livros. 
 
SERVIÇO
24° Janeiro de Grandes Espetáculos
Quando: de 10 a 28 de janeiro
Ingressos: De R$ 5 a R$ 60, à venda no site Compre Ingressos e na central de ingressos no Teatro de Santa Isabel
Informações e programação: janeirodegrandesespetaculos.com

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.










SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss