Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Pernambuco.com

Recife, 18/NOV/2017
 
cheia

  • Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Violência Entidade repudia ataque com veneno a criancas que tocavam maracatu 'A atitude do comerciante revela a larga disseminação de ódio e intolerância na sociedade brasileira', afirma Conselho de Cultura

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/11/2017 14:55 Atualizado em:

Idoso utilizou pulverizador para lançar produto químico contra crianças. Fotos: Facebook/Reprodução
Idoso utilizou pulverizador para lançar produto químico contra crianças. Fotos: Facebook/Reprodução

Após a veiculação de um vídeo que flagra o momento em que um comerciante lança veneno contra um grupo de crianças e adolescente que participava de uma oficina de maracatu em praça pública, o Conselho Municipal de Políticas Culturais de Foz do Iguaçu, no Paraná, divulgou uma nota de repúdio contra a agressão sofrida pelos integrantes do Ponto de Cultura Maracatu Alvorada Nova.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

As crianças e adolescentes, alunos do Colégio Flávio Warken, do município de Foz do Iguaçu, participavam de oficina cultural na manhã da última quinta-feira (9), quando foram atacadas por um comerciante da região, identificado como Rosalvo Souza, que, incomodado com o barulho provocado pelos instrumentos percussivos, se aproximou e começou a pulverizar veneno contra os jovens. Em vídeo divulgado pelo Centro de Cultura Popular de Foz do Iguaçu, entidade responsável pelo projeto artístico, é possível ver o momento em que uma das crianças afirma que se trata de uma expressão cultural, ao que ele responde: "isso não é cultura, é uma vergonha".

"A atitude do comerciante revela a larga disseminação de ódio e intolerância na sociedade brasileira. São comportamentos presentes, de forma clara ou velada, em narrativas de determinados agentes públicos e em projetos por eles defendidos, que cerceiam o pensamento, a arte, a ciência e a liberdade de expressão para impor no lugar violência, racismo e preconceito", afirma trecho da nota emitida pelo Conselho Municipal de Cultura, que afirma ficar evidente o "ataque criminoso" através das imagens.

"Compactuar com intolerância de qualquer forma é aceitar retroceder ao obscurantismo e ao arbítrio como normas. O Conselho de Cultura exige a completa apuração do caso de violência aos participantes do projeto cultural e a punição ao responsável pela agressão. Sociedades democráticas são construídas com diálogo, justiça e diversidades. Diversidades, palavra carregada de significação, pronunciada sempre no plural", afirma outro trecho do texto, no qual o Conselho de Cultura solidariza-se com os jovens fazedores de cultura e com os monitores e arte-educadores do projeto.

Assista ao vídeo da agressão:



Confira o documento na íntegra:

"NOTA DE REPÚDIO
O Conselho Municipal de Políticas Culturais de Foz do Iguaçu repudia a agressão sofrida por crianças e adolescentes participantes das oficinas artísticas de maracatu, mantidas pelo Ponto de Cultura Maracatu Alvorada Nova, na Vila C. O Conselho de Cultura solidariza-se com os jovens fazedores de cultura e com os monitores e arte-educadores do projeto.

As crianças e adolescentes, alunos do Colégio Flávio Warken, participavam de oficina realizada em praça pública, na manhã do dia 09 de novembro, quando foram atacadas por um comerciante da região, que lançou veneno contra os jovens com um pulverizador. O ataque criminoso está claramente revelado no vídeo gravado pelos integrantes do projeto cultural.

A atitude do comerciante revela a larga disseminação de ódio e intolerância na sociedade brasileira. São comportamentos presentes, de forma clara ou velada, em narrativas de determinados agentes públicos e em projetos por eles defendidos, que cerceiam o pensamento, a arte, a ciência e a liberdade de expressão para impor no lugar violência, racismo e preconceito.

Compactuar com intolerância de qualquer forma é aceitar retroceder ao obscurantismo e ao arbítrio como normas. O Conselho de Cultura exige a completa apuração do caso de violência aos participantes do projeto cultural e a punição ao responsável pela agressão. Sociedades democráticas são construídas com diálogo, justiça e diversidades. Diversidades, palavra carregada de significação, pronunciada sempre no plural.

Foz do Iguaçu, 10 de novembro de 2017
A plenária do Conselho Municipal de Políticas Culturais"

Acompanhe o Viver no Facebook:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.










SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss