• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Alto da Sé Subindo e descendo as ladeiras de Olinda

Por: Gabriel Catunda

Publicado em: 07/11/2013 12:41 Atualizado em: 07/11/2013 13:46

Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, Olinda abriga o Alto da Sé, de onde é possível ver toda a cidade (Helder Tavares/DP/D.A.Press)
Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, Olinda abriga o Alto da Sé, de onde é possível ver toda a cidade

O Centro Histórico de Olinda, com igrejas barrocas, museus e o belo casario colonial, é um passeio ideal para a família viajar na história do Brasil. É preciso ter fôlego para enfrentar o sobe e desce das famosas ladeiras que lotam de foliões e bonecos gigantes durante um dos melhores carnavais do mundo.


Mesmo assim, nada de corpo mole para conhecer esse Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Você vai adorar percorrer à cidade a bordo de um trenzinho que tem saídas todos os dias, das 8 às 20h, ao lado da Biblioteca Pública de Olinda, na Praça do Carmo. O trajeto de 30 minutos inclui uma parada no Alto da Sé - ponto turístico mais alto - e outra no Mercado da Ribeira. Você ainda poderá descer do trenzinho, conhecer as atrações nos arredores, comprar artesanatos nas feirinhas locais e embarcar no próximo que passar. O valor por pessoa é R$ 12, mas geralmente os motoristas dão desconto para crianças. É só pechinchar!


Outras atrações para a garotada são o Museu do Mamulengo, um espaço lúdico com cerca de 1500 fantoches em madeira e pano, preservados desde o século 18. Perto dali, na Rua Bernardo Vieira, está o Marcado da Ribeira. Lá, os visitantes podem tirar fotos com os famosos bonecos gigantes e usar alguns adereços carnavalescos, como máscaras e fantasias de passistas de frevo. Por isso, vamos conhecer um pouco mais sobre uma das cidades mais bonitas do mundo e que está aqui pertinho, do nosso lado, afinal, Olinda não é só carnaval.



TAGS:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.