• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Teatro Risos para dar e vender

Publicado em: 26/08/2013 10:05 Atualizado em:

Espetáculo poderá ser visto, gratuitamente, na sexta-feira, 6 de setembro, às 19h, na rua Berlim, no bairro de Santo Amaro. (Marcelo Soares/Divulgação)
Espetáculo poderá ser visto, gratuitamente, na sexta-feira, 6 de setembro, às 19h, na rua Berlim, no bairro de Santo Amaro.
Integrando a 1ª Mostra Cafuringa de Teatro de Rua, o espetáculo Sonho do Circo poderá ser visto, gratuitamente, na sexta-feira, 6 de setembro, às 19h, na rua Berlim, no bairro de Santo Amaro. A trama se desenrola através de dois palhaços, Suca e Supisco, que em visita ao circo, de forma desastrosa, se tornam os mestres de cerimônias da encenação. Numa atmosfera de muito riso, a dupla trava uma engraçada disputa para ver quem é o mais habilidoso artista/palhaço. No meio de tudo isto, são mostrados números de malabares, perna-de-pau, cubo, acrobacias e muita palhaçada! O espetáculo vai ser precedido pela contação de história Façanhas de Zé Burraldo”, com o Grupo Burrinha da Saudade. Mais informações: 3222 0025.

Músical infantil ensina a importância dos animais

Outro espetáculo de destaque é o musical para crianças, Outra História de Francisco, que revisita a história de São Francisco de Assis no universo clown, com atores do Núcleo IniciATIVA de Teatro e Trupe Cara & Coragem, do Cabo de Santo Agostinho. A peça encerra a programação do 11º Festival Estudantil de Teatro e Dança neste sábado, dia 31 de agosto, às 16h, no Teatro Apolo (Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife). Os ingressos custam R$ 6 (preço único promocional). Mais informações: (81) 3355 3321.

Com trilha sonora ao vivo, a peça conta, através de uma trupe de palhaços, uma versão bem humorada da história de São Francisco de Assis que, ainda criança e junto com seus amigos, recebeu a missão de proteger os animais. A montagem utiliza elementos da cultura popular que permeiam toda a encenação, desde cenários que se transformam em cena e figurinos, promovendo ainda uma brincadeira que mistura o sacro e o popular.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.