• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Saúde Uso inadequado de medicamentos é responsável por 33,62% dos casos de intoxicação Uma das dicas dos especialistas é seguir sempre a prescrição médica

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/01/2018 12:07 Atualizado em:


Apenas em 2017, foram realizados 5.420 atendimentos no centro, sendo que 1.822 estavam relacionados ao consumo de medicamentos. Foto:  Fábio Pozzebom/Agência Brasil (Foto:  Fábio Pozzebom/Agência Brasil)
Apenas em 2017, foram realizados 5.420 atendimentos no centro, sendo que 1.822 estavam relacionados ao consumo de medicamentos. Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil


O uso de medicamentos inadequados estão entre um dos principais casos de intoxicação da população. De acordo com um estudo realizado pelo Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) da Unicamp, em Campinas, São Paulo, a ingestão desses remédios respondem por 33,62% dos casos que se agravam em doenças. 

"O uso inadequado de medicamento pode acarretar sérios prejuízos para a saúde, inclusive acarretando a morte do paciente”, alerta Luiz Carlos Silveira Monteiro, presidente da ePharma, médico e conselheiro da Aliança para Saúde Ocupacional (Asap). Apenas em 2017, foram realizados 5.420 atendimentos no centro, sendo que 1.822 estavam relacionados ao consumo de medicamentos.

Entre as principais prejudicados estão crianças e idosos. Segundo o especialista esses grupos são os devem ter mais atenção, por isso, aconselha-se que o medicamento seja separado em frascos e permita uma melhor identificação de cada comprimido.

Para quem depende da assistência farmacêutica, mais uma dica: não faça uso da automedicação. “A interação com outros medicamentos, por exemplo, é fundamental para um diagnóstico preciso e a melhor indicação medicamentosa”, explica. O uso inadequado de várias substâncias pode ainda dificultar o correto diagnóstico e aumentar o problema de saúde do paciente.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.