• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Saúde Mulheres que trabalham à noite tem maior risco de câncer, diz estudo Estudos anteriores mostraram que o trabalho noturno pode alterar os ritmos cardíacos, provocando mudanças hormonais e metabólicas, que podem aumentar o risco de câncer, diabetes e depressão

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/01/2018 22:31 Atualizado em:

Foto: Reprodução/Internet (Foto: Reprodução/Internet)
Foto: Reprodução/Internet


As mulheres que trabalham à noite regularmente na Europa e na América do Norte têm 19% mais risco de desenvolver câncer do que aquelas que trabalham durante o dia, segundo um estudo publicado nesta segunda-feira. 

Este aumento de risco não foi observado nas mulheres que trabalham de noite na Austrália e na Ásia, segundo o estudo publicado na revista científica Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention.

"Nosso estudo indica que o trabalho noturno é um fator de risco para os cânceres comuns em mulheres", disse o autor do estudo Xuelei Ma, oncologista do West China Medical Center da Universidade Sichuan em Chengdu, China.

"Nos surpreendeu ver a associação entre o trabalho noturno e o risco de câncer de mama só entre as mulheres da América do Norte e da Europa", acrescentou.

"É possível que as mulheres desses lugares tenham níveis mais altos de hormônios sexuais, que foram associados positivamente com cânceres relacionados com hormônios, como o câncer de mama", acrescentou.

A revisão incluiu 61 estudos anteriores sobre o tema, com 3,9 milhões de participantes da América do Norte, Europa, Austrália e Ásia, e mais de 110.000 cânceres. 

Pesquisas anteriores mostraram que o trabalho noturno pode alterar os ritmos cardíacos, provocando mudanças hormonais e metabólicas, que podem aumentar o risco de câncer, diabetes e depressão. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.