• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
AVIAÇÃO Órgão Internacional da Aviação adota novo padrão para emissões de CO2 por aviões Aeronaves que não estiverem no novo padrão até 2028 não poderão ser produzidas, a não ser que seus designs sejam modificados de acordo com as novas regras

Por: Agência Brasil

Publicado em: 07/03/2017 17:13 Atualizado em: 07/03/2017 17:20

A novidade será aplicada para novos designs de jatos e aviões planejados a partir de 2020 e para aparelhos que já estarão em produção a partir de 2023.Organização Internacional da Aviação Civil da ONU - Divulgação
A novidade será aplicada para novos designs de jatos e aviões planejados a partir de 2020 e para aparelhos que já estarão em produção a partir de 2023.Organização Internacional da Aviação Civil da ONU - Divulgação

A Organização Internacional da Aviação Civil (Icao), acaba de adotar um novo padrão para emissões de dióxido de carbono (CO2) por aeronaves. O objetivo é reduzir os impactos no clima global das emissões de gases de efeito estufa geradas pelos aviões.

Este é o primeiro padrão de certificação global sobre emissões de CO2 do setor industrial. A novidade será aplicada para novos designs de jatos e aviões planejados a partir de 2020 e para aparelhos que já estarão em produção a partir de 2023.

Futuro sustentável

As aeronaves que não estiverem no novo padrão até 2028 não poderão ser produzidas, a não ser que seus designs sejam modificados de acordo com as novas regras.

O presidente do Conselho da Icao, Olumuyiwa Aliu, afirma que "mais uma vez, a aviação civil internacional tomou uma decisão pioneira para diminuir os impactos do setor no clima global".
Ele diz que esta é mais uma prova "da liderança do setor para garantir o futuro sustentável da aviação".

Já o secretário-geral da Icao, Fang Liu, acredita que “a decisão histórica coloca o setor de transportes aéreos numa boa posição para um futuro mais verde".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.