• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Espaço sideral Cientistas brasileiros descobrem dois planetas em estrela gêmea do Sol Os dois planetas seriam equivalentes a uma "Super-Terra" e a um "Super-Netuno"

Publicado em: 04/11/2016 11:31 Atualizado em:

Uma equipe internacional de astrônomos liderada por cientistas da Universidade de São Paulo (USP) anunciou a descoberta de dois novos planetas, que orbitam uma estrela muito parecida com o Sol. O estudo aponta que a estrela HIP 68468, localizada a 300 anos-luz da Terra, na direção da constelação de Centaurus, abrigou no passado ainda outros planetas rochosos, que foram engolidos pela sua força gravitacional. A pesquisa foi publicada no periódico “Astronomy & Astrophysics“.

As observações lideradas por Jorge Meléndez, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, duraram 43 noites entre 2012 e 2016, no High Accuracy Radial Velocity Planet Searcher (HARPS), um instrumento de detecção de planetas acoplado a um telescópio de 3,6 metros do Observatório Europeu do Sul, em La Silla, no deserto do Atacama, Chile. No entanto, as observações para confirmar a descoberta ainda continuam, pois existem 2% de chances de se tratar de um alarme falso.

O exoplaneta HIP 68468b é uma super-Terra, com massa estimada em três vezes a do nosso planeta, mas que está muito mais perto da estrela. As análises indicam que a sua órbita é de apenas 0,03 vezes a da Terra, cerca de dez vezes menor que a órbita de Mercúrio, o planeta mais interno do Sistema Solar. O outro exoplaneta, batizado como HIP 68468c, possui 26 vezes mais massa que a Terra. Isso equivale a um planeta com massa 50% maior que a de Netuno, o que configura um super-Netuno. Entretanto, enquanto Netuno orbita o Sol a 30 vezes a distância Terra-Sol, o HIP 68468c orbita a sua estrela a apenas 0,7 vezes a distância Terra-Sol. O HIP 68468c não poderia ter se formado tão perto da estrela; ele deve ter migrado de uma região externa para a zona interna do sistema planetário.

A HIP 68468 é uma das 63 estrelas classificadas como gêmeas solares que estão sendo observadas pela equipe para detecção de exoplanetas. O astro possui uma concentração de lítio quatro vezes maior ao esperado para a sua idade, estimada em 6 bilhões de anos. Esse acúmulo do material indica que a HIP 68468 pode ser uma devoradora de planetas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.