investigação PM pesquisou rotinas de Marielle, Freixo e autoridades da segurança, diz delegado

Por: AE

Publicado em: 12/03/2019 16:47 Atualizado em:

Fotos: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio e Ricardo Fernandes/DP
Fotos: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio e Ricardo Fernandes/DP
Preso sob a acusação de ter sido o executor de Marielle Franco, o PM reformado Ronnie Lessa teria feito pesquisas on-line não apenas sobre a rotina da vereadora do PSOL, mas também sobre a de outros políticos da esquerda, como o atual deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e sua família, além de autoridades da área de segurança.

"Ronnie tinha um perfil de ódio a políticos de esquerda", afirmou o delegado Giniton Lages. "Hoje, não sabemos se havia mandantes, se ele agiu sozinho." Segundo o delegado, Lessa fez pesquisas "sobre Marcelo Freixo, sobre a esposa do Freixo, sobre diversas autoridades públicas, o Richard Nunes (então secretário de Segurança durante a intervenção federal no Rio), delegados de polícia".

Lages não deixou claro, no entanto, se o objetivo de tais pesquisas seria buscar um alvo ou reunir informações para o crime contra Marielle.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.