Rio de Janeiro Maquinista morto em acidente no Rio exercia a função desde 2014

Por: AE

Publicado em: 28/02/2019 11:27 Atualizado em:

Bombeiros retiram maquinista das ferragens após colisão no Rio. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Bombeiros retiram maquinista das ferragens após colisão no Rio. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O maquinista Rodrigo da Silva Ribeiro Assumpção - que morreu, nessa quarta-feira (27/2), após a colisão de dois trens no Rio de Janeiro - tinha 40 anos e desde 2011 era funcionário da Supervia. Casado e pais de dois filhos, exercia a função de maquinista desde 2014, para a qual passou por vários treinamentos, segundo a empresa. 

Mesmo após a ação de resgate dos bombeiros, que durou mais de sete horas, Assumpção morreu em decorrência dos ferimentos. Mais oito pessoas ficaram feridas. O acidente foi por volta das 6h50, entre duas composições de passageiros que seguiam rumo a Deodoro. 

O trabalho dramático dos bombeiros, que se estendeu por 7h40, repercutiu nas redes sociais e na TV. Toda a operação foi acompanhada por parentes de Assumpção, que chegaram a comemorar quando ele foi retirado, mas choraram muito quando sua morte foi confirmada.

Nas redes sociais, amigos do maquinista lamentaram sua morte: "Que falta você fará, meu amigo Rodrigo! Quem vai me perguntar de manhã como vai minha princesa? Nosso W de 4:10 nunca mais será o mesmo!", escreveu Thiago Silva. A Supervia informou que presta assistência à família. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.