SAÚDE Será revisto aval para eletrochoque

Por: AE

Publicado em: 09/02/2019 10:11 Atualizado em:

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse não conhecer o documento Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse não conhecer o documento Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara
O documento preparado pelo governo que dá sinal verde para a compra no Sistema Único de Saúde (SUS) de aparelhos de eletroconvulsoterapia (eletrochoque) será revisto, segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Ele ainda citou a importância do processo de desospitalização no País e afirmou ter dúvidas sobre ações em comunidades terapêuticas. 

O documento dá aval para a compra de aparelhos de eletroconvulsoterapia (os eletrochoques) e reforça a possibilidade da internação de crianças em hospitais psiquiátricos. O texto ainda prega a abstinência para o tratamento de dependentes de drogas. Com 32 páginas, o texto sobre as mudanças na Política de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da pasta tira ainda o protagonismo da redução de danos, adotada há pelo menos 30 anos no País. A estratégia prevê o cuidado geral do dependente químico e tem como principal objetivo a melhora de seu estado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.