BRUMADINHO Articulação internacional de atingidos pela Vale pede demissão da diretoria

Por: AE

Publicado em: 05/02/2019 09:14 Atualizado em:

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
A Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale formalizará nesta terça-feira, 5, por meio de acionistas que fazem parte do grupo, um pedido ao Conselho de Administração e ao Conselho Fiscal da mineradora demandando a destituição da Diretoria Executiva da mineradora e a convocação imediata de uma Assembleia Geral Extraordinária.

O grupo também deve realizar uma coletiva de imprensa, no Córrego do Feijão, para apresentar documento sobre os pontos críticos da atuação da mineradora após o rompimento da barragem da mina da empresa, que caminha para deixar um saldo de mais de 300 mortos.

Desde o último dia 29, a articulação visitou diversas localidades diretamente atingidas pela catástrofe, conversando com a população, com familiares de vítimas, e também com órgãos públicos envolvidos na prestação direta de assistência às pessoas afetadas.

"Além de prestar solidariedade e apoio às vítimas deste desastre o grupo teve como objetivo principal a observação e registro da atuação da mineradora nos primeiros dias após o rompimento da barragem, considerando a gravidade das violações a direitos humanos, ambientais, sociais e econômicos", disse a Articulação em nota.

Na semana passada, os acionistas críticos vinculados à Articulação entraram na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) com um pedido de abertura de inquérito sobre a empresa. A denúncia apontou indícios de manipulação de mercado por ocultamento dos riscos socioambientais dos empreendimentos da empresa, já que nos balanços não constavam provisões para os riscos das barragens.

Diversos movimentos sociais de Brumadinho e de Minas Gerais integram a Articulação dos Atingidos pela Vale, e já haviam alertado a mineradora sobre o risco que as barragens de rejeitos da mineradora representavam para as comunidades locais, dentre elas a barragem em Córrego do Feijão, que entrou em colapso no dia 25 de janeiro.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.