Brumadinho Israelenses estariam 'desconfortáveis com subutilização' em Brumadinho

Por: Mateus Parreiras

Publicado em: 31/01/2019 10:32 Atualizado em:

Fontes consultadas pelo EM dizem a permanência da tropa em campo foi reduzida, enquanto que sua estadia na base vinha aumentando. Foto: Divulgação Embaixada de Israel
Fontes consultadas pelo EM dizem a permanência da tropa em campo foi reduzida, enquanto que sua estadia na base vinha aumentando. Foto: Divulgação Embaixada de Israel
Os últimos dias de atuação da tropa israelense na Operação Brumadinho de resgate às vítimas do rompimento da Barragem de Córrego do Feijão foi menos intensa, de acordo com fontes ligadas ao coordenação da ação. Segundo essas observações, nem 10% do volume de equipamentos trazidos para a missão chegaram a ser desencaixotados.

O equipamento aberto se resumiu a aparatos de sobrevivência. “Aqui, os israelenses eram auto-suficientes. A comida deles e até a água que bebiam era própria. Não dependiam das forças brasileiras para nada. A única coisa que nos pediam era instruções sobre quais os pontos em que poderiam atuar, onde deveriam ser empregados”, disse um oficial que não tem autorização para dar entrevistas.

De acordo com as fontes consultadas pelo jornal Estado de Minas, a permanência da tropa em campo foi reduzida, enquanto que sua estadia na Base Israel, que fica num estádio de futebol próximo ao local da tragédia, vinha aumentando. “Apesar de serem bem tratados, os militares de Israel aparentavam estar ansiosos para trabalhar e não estavam confortáveis com sua subutilização”, disse outro oficial, também sob condição de anonimato.

Os 136 soldados e oficiais israelenses se despedem do Brasil nesta quinta-feira. Policiais militares do estado, integrantes do Comando Aéreo e do Corpo de Bombeiros, e o governador Romeu Zema participaram de uma solenidade de agradecimento da tropa nesta manhã no 12º Batalhão de Infantaria (BI), no Barro Preto, em Belo Horizonte. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.