Educação "Universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos", reforça ministro

Por: Agência Brasil

Publicado em: 30/01/2019 17:53 Atualizado em:

Foto: Reprodução/ Twitter
Foto: Reprodução/ Twitter
O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, defendeu nesta quarta-feira (30) que o ensino básico, que vai da educação infantil até o ensino médio, deve ser de qualidade para permitir aos estudantes, que desejam, ingressar na universidade. 

No vídeo, publicado no Twitter, Rodríguez reforça que a universidade não deve ser voltada para todos, mas para aqueles que desejam ingressar no ensino superior e que devem ter condições de competir por uma vaga. 

"Universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos. Somente algumas pessoas que têm desejos de estudos superiores e que se habilitam para isso entram na universidade", diz no vídeo.

Vélez Rodríguez acrescenta no vídeo: "A universidade tem que ser democrática, ou seja, todos aqueles que quiserem entrar, devem estar em pé de igualdade para poder competir pelo ingresso na universidade. A coisa melhor para ingressar na unversidade é ensino básico de qualidade, onde todo mundo se forma, todo mundo se habilita e todo mundo pode competir em pé de igualdade". 

O Plano Nacional De Educação (PNE), lei que estipula metas para melhorar a qualidade da educação no país, estabelece que pelo menos 33% da população de 18 a 24 anos devem estar na universidade até 2024. Atualmente, essa porcentagem chega a 23,2%. Além disso, determina que a porcentagem total de estudantes em relação a população de 18 a 24 anos, a chamada taxa bruta de matrícula, chegue a 50%. A taxa atual é 34,6%.

Veja a publicação



 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.