urgente Ameaça de bomba na Esplanada dos Ministérios mobiliza esquadrão da PM Polícia Militar foi acionada por seguranças do Ministério do Planejamento, após equipe achar mala abandonada nas imediações do prédio

Por: Estado de Minas

Publicado em: 29/12/2018 10:50 Atualizado em:

Foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press
Foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press

O esquadrão antibombas da Polícia Militar investiga, na manhã deste sábado (29), o conteúdo de uma mala deixada dentro do elevador no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Um segurança acionou a Polícia Militar após encontrar uma maleta nos arredores do prédio. Suspeitando da possibilidade de se tratar de um artefato explosivo, a corporação acionou o esquadrão antibomba do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A maleta foi deixada do lado de fora, ao lado de uma pilastra, próximo à saída de emergência. Militares do Bope mobilizaram todo o aparato para esse tipo de operação, incluindo um robô e um oficial com roupas de proteção contra explosivos. Um grupo de curiosos parou para observar a ação da Polícia Militar. Aparentando serem militares fora de serviço, eles não quiseram conversar com a reportagem.

O sargento da PM Ronaldo Silva patrulhava a região em um carro da corporação quando recebeu a denúncia. A equipe dele acionou o Bope. "Localizamos uma mala na lateral do Ministério do Planeamento por volta de 8h40. Quem encontrou primeiro foi um segurança. O Bope está investigando o artefato", disse.

Na madrugada de terça-feira (25), o esquadrão antibomba da PM detonou um explosivo deixado próximo a uma igreja católica em Brazlândia. Os policiais precisaram isolar ruas próximas da igreja para detonar o material. A Operação Petardo, como é batizada, começou por volta de meia-noite e foi concluída com sucesso perto das 4h com o artefato sendo desativado por um robô da PM.

As forças de segurança do DF e a Polícia Federal investigam mensagens nas redes sociais de que haverá pelo menos quatro ataques a bomba no DF na noite de 31 de dezembro.

Um adolescente chegou a ser levado para a delegacia após os investigadores descobrirem que ele estava movimentando uma conta no Instagram com as mensagens. Porém, ele negou que estivesse envolvido no caso da mochila com explosivos deixados próximo da igreja.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.