clima Verão deve apresentar temperaturas acima da média histórica no Brasil Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o aquecimento ocorre como consequência da formação do fenômeno El Niño

Por: Ingrid Soares - Correio Braziliense

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 22/12/2018 17:26 Atualizado em: 22/12/2018 17:49

Foto: Paulo Paiva/DP
Foto: Paulo Paiva/DP

A estação mais quente do ano chegou na noite de ontem e deve apresentar temperaturas acima da média histórica no Brasil, conforme previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec-Inpe). Segundo o instituto, o aquecimento ocorre como consequência da formação do fenômeno El Niño, caracterizado por um superaquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico e que causará impacto nas chuvas em boa parte do país.

A média histórica de temperatura máxima a ser superada no Brasil é de 31,5ºC, valor registrado no último trimestre (dezembro, janeiro, fevereiro). Para hoje, a previsão é de que a temperatura chegue a 38°C, com pancadas de chuva isoladas. A semana anterior foi marcada pelas elevações de temperaturas. Na última terça-feira, a sensação térmica em Antonina, no litoral do Paraná, bateu novo recorde e chegou a 81ºC, com temperatura máxima de 44,3°C, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

Foto: Paulo Paiva/DP
Foto: Paulo Paiva/DP


Em Brasília, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os termômetros marcaram ontem 32°C. A previsão para hoje é de 30°C, com o céu parcialmente nublado a nublado e possibilidade de chuva em áreas isoladas. A mínima é de 19°C.  O verão no cerrado será caracterizado por temperaturas mais elevadas com períodos chuvosos, dentro da expectativa de normalidade.

Segundo a médica dermatologista, integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Betina Stefanello, por conta da combinação sol, piscina e excesso de suor, o verão é a época mais propensa ao desenvolvimento de doenças da pele, como micose, brotoejas e queimaduras solares. Além do filtro, ela recomenda o uso de chapéu e roupas de algodão nas atividades ao ar livre, além de evitar a exposição solar entre as 10h e as 16h (horário de verão). “É preciso aumentar a ingestão de líquidos e abusar da água, do suco de frutas e da água de coco. Alguns alimentos podem ajudar na prevenção aos danos que o sol causa à pele, como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba. A temperatura da água no banho deve ser fria ou morna, para evitar o ressecamento”, recomenda.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.