carta Ameaças a alunas da UFPA em Altamira são alvo de investigação do MPF O MPF aponta a ocorrência de três crimes que considera gravíssimos na carta: racismo, incitação ao genocídio e ameaça

Por: Agência Brasil

Publicado em: 09/11/2018 21:31 Atualizado em:

Foto: Divulgação/UFPA
Foto: Divulgação/UFPA
Uma carta com ameaças a alunas do curso de geografia da Universidade Federal do Pará (UFPA) em Altamira (PA), na região do médio Rio Xingu, motivou a abertura de uma investigação criminal do Ministério Público Federal (MPF) nessa quinta-feira (8). A informação foi divulgada nesta sexta-feira.

O MPF aponta a ocorrência de três crimes que considera gravíssimos na carta: racismo, incitação ao genocídio e ameaça. Os procuradores da República que instauraram a investigação consideram fundamental determinar a autoria da carta para que os responsáveis sejam levados à Justiça.

A carta anônima, encontrada no dia 31 de outubro,  provavelmente foi passada por baixo da porta do centro acadêmico de geografia e contém ameaça de morte contra duas alunas que são lideranças do movimento estudantil. Uma representação foi enviada ao Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) em Altamira pelo Movimento Xingu Vivo depois que as alunas denunciaram a ocorrência nas redes sociais.

“O MPF entende que a competência para a investigação é federal, pelo caso ter ocorrido no campus de uma instituição federal de ensino superior e por incidir no crime de incitação ao genocídio, que é objeto de convenção internacional de 1948”, diz nota divulgada pela Procuradoria da República do Pará.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.