polêmica Juíza veta pedido de visita de Roger Waters a Lula na prisão As visitas de amigos ao petista são permitidas apenas às quintas-feiras, e a magistrada não autorizou a exceção

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 27/10/2018 10:44 Atualizado em:

O cantor britânico pediu para que o encontro ocorresse neste sábado (27). Foto: Mauro Pimentel/AFP
O cantor britânico pediu para que o encontro ocorresse neste sábado (27). Foto: Mauro Pimentel/AFP

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, vetou o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o Roger Waters, ex-integrante da banda Pink Floyd, o visitasse na prisão. O músico pretendia visitar Lula neste fim de semana, em Curitiba, onde o petista está preso desde o dia 7 de abril, acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

Na decisão, a magistrada argumentou que "a visitação em ambiente carcerário, pela natureza que lhe é inerente, não se faz de forma improvisada, tampouco se submete exclusivamente à comodidade do executado e/ou visitante. Exige programação, fiscalização e controle, a fim de preservar-se a segurança e as atividades do local de custódia". As informações foram divulgadas nesta sexta-feira pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A equipe de advogados de Waters pediu autorização na superintendência da Polícia Federal, na capital paranaense, para que o cantor britânico visitasse o ex-presidente no final de semana, já que fará show na cidade neste sábado (27). Waters deixará o Brasil no dia seguinte (28).

As visitas de amigos a Lula são permitidas apenas às quintas-feiras. A juíza não aceitou abrir uma exceção para o encontro com o cantor.

Polêmicas 
A turnê de Roger Waters, US + Them, passou por sete capitais brasileirais e dividiu opinões por conta de suas manifestações contra o candidato do PSL à presidência da República Jair Bolsonaro nos shows, onde o associou aos nomes de "neofacistas em ascensão" ao redor do mundo. O cantor exibiu, ainda, a hashtag #EleNão no telão dos shows e homenageou Marielle Franco, chamando a família da vereadora assassinada ao palco.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.