Anatel tentará leiloar faixas de 5G no segundo semestre de 2019 Presidente da agência afirmou que trabalhos com as frequências mais baixas, como 2,3 GHz e 3,5 GHz, já estão em curso

Por: AE

Publicado em: 16/10/2018 14:10 Atualizado em:

Foto: Google Maps
Foto: Google Maps
Os leilões das faixas que serão usadas para a tecnologia 5G devem ficar para o segundo semestre de 2019, de acordo com o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros. "Há ainda uma série de ações a serem elaboradas, uma série de consultas públicas, com relação principalmente às frequências que seriam destinadas para isso", afirmou a jornalistas após participar da 20ª edição da Futurecom, feira de telecomunicações que reúne empresários e representantes do governo.

Quadros afirmou que trabalhos com as frequências mais baixas, como 2,3 GHz e 3,5 GHz, já estão em curso. "Inclusive com testes de campo sendo realizados com participação da indústria, operadoras e institutos de pesquisa, para começar a fazer a avaliação de eventuais interferências e performance."

Já sobre a frequência milimétrica, de 26 GHz, o presidente da Anatel afirma que esse assunto ainda depende de uma reunião da União Internacional de Telecomunicações que só acontecerá no ano que vem.

Saída do cargo

Juarez Quadros está de saída da presidência da Anatel - seu mandato expira no próximo mês. Na segunda-feira (15) o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, disse que o secretário da radiodifusão da pasta Moisés Queiroz Moreira, é o indicado para assumir a presidência da agência reguladora.

Segundo Juarez Quadros, seu nome foi indicado por Kassab para uma eventual recondução ao cargo, mas o presidente da República teria dito que ele deveria atender uma solicitação política na indicação de outro presidente da Anatel.

Em um balanço de seu mandato, Quadros disse que conseguiu fortalecer a agência após um período de desgaste. "Hoje não faltam recursos para a Anatel fazer o seu trabalho de regulação e fiscalização pelo País inteiro."

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.