Tocantins Polícia procura 17 homens que fugiram de penitenciária em Araguaína, no Tocantins A maior parte dos detentos cumpria pena por latrocínio e roubo, segundo agentes da delegacia local

Por: Agência Brasil

Publicado em: 04/10/2018 09:36 Atualizado em:

Fuga aconteceu no presídio Barra da Grota. Foto: Seciju/Divulgação
Fuga aconteceu no presídio Barra da Grota. Foto: Seciju/Divulgação
Dezessete presos que fugiram da penitenciária Barra da Grota, em Araguaína (TO), há dois dias, continuam foragidos, mas não há mais reféns.

Na tarde de ontem (4), a professora Elisângela Mendes Sobrinho e o chefe de plantão do presídio, Roberto Aires, foram deixados no povoado conhecido como Água Amarela, a cerca de 7 quilômetros da cidade. Eles ficaram mais de 24 horas em  poder dos foragidos.

Elisângela e Roberto Aires eram as últimas pessoas feitas reféns durante a rebelião que ainda estavam sendo procuradas pela polícia. Um dos presos que estava ferido também foi encontrado no local.

Outros dois agentes penitenciários foram levados pelo grupo durante a fuga, mas conseguiram escapar no mesmo dia depois de um tiroteio. No confronto com policiais, dez presos foram mortos. Ao todo, eram 28 fugitivos.

Policiais militares e civis e agentes da Secretaria de Segurança Pública de Tocantins continuam as buscas. A maior parte dos detentos cumpria pena por latrocínio e roubo, segundo agentes da delegacia local.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.