Brasília Motoristas abastecem carro e saem sem pagar; quase mil casos em 2018 Dado é do Sindicato dos Empregados de Postos do DF, segundo o qual, muitas vezes, os donos de estabelecimentos cobram o prejuízo dos frentistas

Por: Philipe Santos - Correio Braziliense

Publicado em: 13/09/2018 16:32 Atualizado em:

Foto: Reprodução / Youtube
Foto: Reprodução / Youtube

Frentistas e donos de postos de gasolina no Distrito Federal estão preocupados com o aumento do número de casos em que motoristas arrancam e fogem sem pagar depois de ter o carro abastecido. Segundo dados do Sindicato dos Empregados de Postos do DF (Sinpospetro), só em 2018, esse tipo de golpe foi aplicado quase mil vezes em diferentes regiões administrativas.

 

Vídeos de câmeras de segurança mostram esse tipo a ação ocorrendo em estabelecimentos de Taguatinga e do Guará. Assista:

 

 

 

Como ocorre nos episódios divulgados, as pessoas que cometem esse crime escolhem horários com pouco movimento, o que facilita a saída do posto de forma rápida. Os golpistas geralmente esperam os frentistas retirar a mangueira do carro e logo saem em disparada, dando poucas chances de reação ao profissional. 

 

O diretor do Sinpospetro, William Ferreira, afirmam que alguns postos ainda descontam o prejuízo do salário dos frentistas. "Eles agem com má fé. Mesmo após a comprovação da falta de culpa dos funcionários", afirma Ferreira. Nesses casos, acrescenta, o sindicato entra com ação na Justiça ou no Ministério Público.

 

Procurada pelo Correio Braziliense, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que não tem como confirmar o número fornecido pelo sindicato, de que já ocorreram mais de 900 casos desse tipo no DF em 2018. Segundo a pasta, casos desse tipo são registrados como furto. A recomendação para os funcionários vítimas do crime é que anotem a placa do veículo e registrem boletim de ocorrência.

 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.