Operação Crepitus PF cumpre mandados contra quadrilha que roubava bancos no Rio Segundo a PF, os envolvidos já são alvo de ação penal e respondem pelos crimes organização criminosa, roubo e incêndio

Por: Agência Brasil

Publicado em: 13/09/2018 09:02 Atualizado em:

Policiais federais cumprem hoje (13) dez mandados de prisão preventiva contra acusados de participar de quadrilha especializada em roubos a bancos com o uso de explosivos, no litoral sul do Estado do Rio.

Sete mandados da Operação Crepitus estão sendo cumpridos em Angra dos Reis, no sul do estado, com o apoio das Forças Armadas.
 
Também estão sendo cumpridos mandados de prisão no Rio de Janeiro, Seropédica (RJ) e Pardinho (SP).
 
As investigações foram iniciadas pela Polícia Federal (PF) depois do roubo de uma agência do Banco do Brasil e da tentativa frustrada de roubo na Caixa Econômica Federal, ambas em Paraty, no sul fluminense, em março deste ano.
 
Segundo a PF, os envolvidos já são alvo de ação penal e respondem pelos crimes organização criminosa, roubo, incêndio, explosão, posse e/ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e posse e/ou porte ilegal de artefato explosivo ou incendiário.

Roubos a caixas eletrônicos
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a investigação, que é um desdobramento da Operação Dillinger, mostrou que a quadrilha possui duas células operando em atividades autônomas, sendo a primeira dedicada à prática de roubos a caixas eletrônicos e a segunda sob forma de associação ao tráfico de entorpecentes e outros crimes.
 
Essa segunda célula é também responsável pela segurança e esconderijo da quadrilha que pratica os roubos a bancos. Os grupos teriam ligação com as facções Comando Vermelho e Primeiro Comando da Capita (PCC).
 
Os mandados de prisão foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro.
 
A Crepitus está sendo executada junto com uma operação das Forças Armadas que atua em oito comunidades de Angra dos Reis, com 2.200 militares e o apoio de policiais militares e civis.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.