SAUDE Setembro Dourado alerta para prevenção do câncer infantojuvenil Se descobertos precocemente, 70% dos casos podem ser curados se tratados adequadamente.

Publicado em: 07/09/2018 16:09 Atualizado em:

Câncer infantojuvenil é a principal causa de morte por doença entre crianças e adolescentes, segundo o Inca. Foto: Natureaddict-Pixabay
Câncer infantojuvenil é a principal causa de morte por doença entre crianças e adolescentes, segundo o Inca. Foto: Natureaddict-Pixabay
Setembro Dourado é o tema da campanha que reúne esforços para difundir durante este mês a conscientização e prevenção do câncer infantojuvenil. Integrante da Aliança Instituto de Oncologia, a médica oncologista Janaina Jabur explica que esse tipo da doença engloba neoplasias (também denominadas tumores, forma de proliferação celular não controlada pelo organismo, de naturezas benignas ou malignas conforme o potencial de causar danos ao indivíduo), que afetam geralmente as células do sistema sanguíneo, nervoso e dos tecidos de sustentação.

Ainda segundo Janaina Jabur, o câncer infantojuvenil é a principal causa de morte por doença entre crianças e adolescentes, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Com base na estatística de ocorrência, são esperados 12.500 novos casos de câncer infantojuvenil para o biênio 2018/2019, em crianças e adolescentes de até 19 anos. "São vários tipos de câncer, sendo os mais comuns: leucemias, linfomas e tumores do sistema nervoso central", exemplifica a médica.

"Com a descoberta precoce, aproximadamente 70% dos casos da doença podem ser curados, se tratados adequadamente", destaca a oncologista Janaina Jabur, ressaltando a importância da campanha de conscientização, principalmente porque pode ajudar a identificar a doença. O câncer infantojuvenil pode ser identificado precocemente por alguns indícios: dor de cabeça pela manhã associada a vômito, caroços no pescoço, axilas, virilha e ínguas que não somem, dor nas pernas que atrapalham as atividades da criança ou do adolescente, manchas pelo corpo e aumento da circunferência abdominal, entre outros.

*Com informações da assessoria de imprensa.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.