Segurança Quatro policiais são presos suspeitos de não combater milícia no Rio Quadrilhas criminosas rivais têm disputado, nos últimos dias, o controle das comunidades do Rôla e de Antares, em Santa Cruz

Por: Agência Brasil

Publicado em: 31/07/2018 09:46 Atualizado em:

Vídeos mostram que os policiais, que estavam de serviço na região de Antares, presenciaram a atuação de homens armados e não fizeram nada para impedi-los ou prendê-los. Foto: Reprodução/Flickr
Vídeos mostram que os policiais, que estavam de serviço na região de Antares, presenciaram a atuação de homens armados e não fizeram nada para impedi-los ou prendê-los. Foto: Reprodução/Flickr
Quatro policiais militares foram presos pela Corregedoria da corporação, suspeitos de facilitar a atuação de um grupo miliciano que disputa o controle territorial de comunidades da zona oeste do Rio de Janeiro. O grupo foi detido administrativamente no último domingo por 72 horas para investigação da 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar.
 
Quadrilhas criminosas rivais têm disputado, nos últimos dias, o controle das comunidades do Rôla e de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro. Um grupo miliciano tenta ocupar as duas favelas, que hoje estão sob controle de uma quadrilha que explora a venda de drogas ilícitas.

Conflito e tiroteio
Vídeos que circularam pelas redes sociais mostram que os policiais, que estavam de serviço na região de Antares, presenciaram a atuação de homens armados, supostamente vinculados à milícia, e não fizeram nada para impedi-los ou prendê-los.
 
Entre a noite de ontem e a madrugada de hoje (30), os dois grupos voltaram a se enfrentar.  Tiroteios intensos foram registrados por vídeos gravados por moradores e publicados nas redes sociais.

A linha 17 do BRT, que faz o trajeto Santa Cruz-Campo Grande, teve a circulação suspensa por motivos de segurança, por volta das dez da noite de segunda, pelo segundo dia seguido. A operação só foi retomada às 3h50 da madrugada de hoje.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.