Rio PM apreende mais de 500 quilos de maconha no Complexo do Alemão Operação conjunta foi realizada nesta quinta-feira (19)

Por: Agência Brasil

Publicado em: 19/07/2018 22:08 Atualizado em:

 (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
O Comando de Operações Especiais da Polícia Militar, formado pelas tropas de elite da corporação, fizeram hoje (19), em conjunto com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), uma grande operação contra o crime organizado no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, uma das regiões mais perigosas da cidade.
 
Na ação, os militares apreenderam mais de 500 quilos de maconha e prenderam três criminosos, um deles ficou ferido em confronto com os militares e foi encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas. Foram apreendidas também três pistolas, uma granada e uma tornozeleira eletrônica.

A ação teve como finalidade coibir os recentes atos criminosos ocorridos na região, como os confrontos e investidas dos bandidos contra bases das Unidade de Polícia Pacificadora (UPPs), além de identificar e prender os envolvidos em roubos de carga e no tráfico de drogas. No último domingo (15), cinco criminosos foram mortos em confronto militares da UPP. A partir daí, as bases da UPP no Complexo do Alemão e os militares que trabalham nas Unidades de Polícia Pacificadora espalhadas pelo complexo de favelas do Alemão, receberam diversas ameaças. Devido ao clima tenso na região, a PM vem realizando ações diárias no local.

A PM informou que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) atuou no Morro do Alemão, o Choque na Nova Brasília, policiais das UPPs nos morros do Adeus e da Baiana, e policiais da Unidade de Engenharia, Demolição e Transporte (UEDT) do Bope no Morro do Adeus na remoção de barreiras colocadas por criminosos em vias públicas para dificultar à entrada da polícia.

Devido ao tiroteio, a concessionária Light, responsável pelo fornecimento de energia elétrica na região, informou que alguns transformadores de energia foram danificados por tiros. Com isso, a comunidade ficou sem energia em algumas áreas, mas os técnicos da campanhia só iriam realizar os reparos quando os funcionários tivessem condições de segurança para atender os chamados.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.