ataque Idosa é internada após ser atacada por abelhas em Brasília O cachorro da família também foi picado. Este é o segundo caso de ataque de abelhas com vítimas em uma semana

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 06/07/2018 08:14 Atualizado em:

No início da semana, outro caso, desta vez no Lago Sul, deixou 18 cachorros mortos. Foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
No início da semana, outro caso, desta vez no Lago Sul, deixou 18 cachorros mortos. Foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press

Mais um ataque de abelhas nesta semana faz vítimas. Desta vez, uma idosa de 91 anos sofreu diversas picadas de uma colméia que estava em um arbusto no jardim, em uma casa na QI 12 do Lago Norte, em Brasília. O caso aconteceu na tarde da quinta-feira (5) e o Corpo de Bombeiros precisou ser acionado para socorrer a mulher. No início da semana, outro caso, desta vez no Lago Sul, deixou 18 cachorros mortos. 

De acordo com os Bombeiros, a mulher já havia sido levada por parentes até a sala quando as equipes chegaram. "Ela estava com sinais de choque anafilático em razão das picadas e até mesmo pela fragilidade por conta da idade", afirmou o major da corporação Gildomar Alves. Apesar do susto, ela foi transportada consciente, orientada e estável para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). 

Um caseiro da residência se trancou em um cômodo para não ser atacado e precisou ser retirado com a ajuda dos militares para impedir que as abelhas o picassem. Um cachorro da família também foi atacado e foi levado pelos donos ao hospital veterinário. 

De acordo com o major Gildomar, com a seca, as abelhas se refugiam em locais mais frescos, úmidos e arborizados. "Por isso, elas são encontradas nos jardins das casas. Mas, como são sensíveis, ao se sentirem ameaçadas, elas atacam", explicou. 

Outro caso

Após um ataque de abelhas, 18 cachorros morreram, nesta segunda-feira (2/7), em uma casa na QI 11 do Lago Sul. Oito cães morreram no local e cerca de 30 foram transportados a uma clínica veterinária, onde 10 deles acabaram não resistindo às picadas. 

Uma das hipóteses considerada pelos bombeiros é de que o latido dos cachorros possa ter atraído as abelhas, animais sensíveis ao barulho. Segundo a corporação, os insetos estavam dentro de um bueiro na região. Várias pessoas na região também foram picadas, mas nenhuma precisou de atendimento médico. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.