Escola Jovem é esfaqueada ao defender amiga de agressão em MG A briga teria sido motivada por mensagens no celular do namorado da agressora

Por: Cristiane Silva

Por: Estado de Minas

Publicado em: 29/06/2018 17:26 Atualizado em: 29/06/2018 16:53

Foto: Reprodução da internet/Google Maps
Foto: Reprodução da internet/Google Maps

Uma jovem de 22 anos foi esfaqueada ao defender uma amiga, de 17, do ataque de uma outra adolescente, de 15 anos. A briga ocorreu na noite de quinta-feira perto de uma escola municipal na na Região Metropolitana de Belo Horizonte e teria sido motivada por mensagens no celular do namorado da agressora.

Segundo a Polícia Militar (PM), o crime ocorreu por volta das 21h. A adolescente de 17 anos contou que havia acabado de sair da escola acompanhada da amiga mais velha quando viu E.G.T, de 15, caminhando na direção dela e mandando que parasse. Nesse momento, a jovem de 22 anos mandou a amiga continuar andando na frente dela. A outra garota se irritou e começou a discutir com a mais velha. Logo em seguida, pegou uma faca que estava na cintura, deu vários golpes, um deles atingindo as costas da jovem. Depois de acertar a vítima, ela saiu correndo. 

Ainda segundo a polícia, ela disse que o namorado de E. assistiu a tudo e apenas mandou que ela corresse. A estudante acredita que era o alvo da agressão, mas alegou não saber o motivo. 

Por sua vez, E. que acabou apreendida, disse que o namorado dela vinha recebendo mensagens da estudante. Conforme a Polícia Militar, ela foi levada a uma companhia, junto com um representante legal, para registrar a ocorrência e lá disse que a intenção dela era matar a colega de escola, mas foi impedida pela intervenção da jovem de 22 anos. 

Quando a PM chegou ao local do crime, a vítima era socorrida por funcionários da escola. Ela foi levada na viatura para um hospital da região. Não há informações sobre a unidade na qual ela foi atendida, nem seu estado de saúde. O namorado da adolescente apreendida também foi levado à Delegacia de Plantão de Vespasiano, como testemunha. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.