Rio de Janeiro Justiça libera verba recuperada na Lava Jato para segurança do Rio O material deve chegar no mês de julho e será recebido por comissões mistas de peritos e integrantes do gabinte

Por: Agência Brasil

Publicado em: 26/06/2018 21:32 Atualizado em:

A Justiça Federal no Rio de Janeiro destinou verba de mais de R$ 1,1 milhão, recuperados na Operação Lava Jato para a Secretaria de Segurança Pública do Estado (Seseg). O valor foi obtido pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio em contas de pessoas que firmaram acordo de colaboração com a Justiça Federal.

Com os recursos, a Polícia Civil irá comprar luminol (substância usada para identificar vestígios de sangue em locais onde ocorreram crimes), reagentes diversos, como o PSA, que identifica presença de esperma, kits para exame de DNA e solventes para exames toxicológicos, além de pó e pincel para digitais, que estão em falta para os trabalhos da perícia técnica.

Em nota, o Gabinete de Intervenção Federal informou que vai usar os recursos disponibilizados pela Justiça na compra de insumos e equipamentos para a área técnica da Polícia Civil do Rio. O material deve chegar no mês de julho e será recebido por comissões mistas de peritos e integrantes do gabinte.

De acordo com o Gabinete de Intervenção Federal, foram feitos processos administrativos baseados na Lei  nº 8.666, que estabelece normas gerais sobre licitações e contratos administrativos. O órgão também fez cotações para garantir o menor preço e subsidiar a Justiça Federal na aquisição dos produtos.

“A Polícia Técnica é uma área fundamental para garantir a qualidade das investigações da Polícia Civil", disse o interventor federal na segurança pública do Rio, general Braga Netto, que agradeceu ao juiz Marcelo Bretas pela parceria.

Bretas, por sua vez, informou que a verba liberada foi obtida com réus colaboradores da Justiça, presos no âmbito da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, e atendeu a um pedido do Gabinete de Intervenção Federal.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.